Ministério do Esporte firma convênios e aditivos com confederações para os Jogos de 2016


Em reta final de preparação para os Jogos Olímpicos, o Ministério do Esporte está firmando convênios com as confederações por meio do Plano Brasil Medalhas. Na última sexta-feira (15.01), foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) a parceria com a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), com foco na estruturação das seleções brasileiras permanentes de adestramento, Concurso Completo de Equitação (CCE) e salto, no valor de R$ 5,97 milhões (contrapartida de R$ 89,6 mil).

Já nesta segunda-feira (18.01), foi publicado um termo aditivo ao convênio com a Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE) de 2014. Na ocasião, por meio do Plano Brasil Medalhas, o investimento foi de R$ 1,17 milhão (contrapartida de R$ 17,6 mil), utilizado para compra de equipamentos, despesas com treinos e competições, contratação de equipe técnica e com custos de importação.

Com o termo aditivo, o convênio foi prorrogado até 30 de agosto e, com a suplementação de R$ 834,4 mil (contrapartida de R$ 12,5), permitirá a preparação do atleta Cássio Rippel para os Jogos. Em 2015, o brasileiro disputou quatro etapas da Copa do Mundo em busca de pontos no ranking mundial, mantendo-se sempre entre os vinte melhores atletas na prova de carabina deitado. Nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, Rippel ficou com o ouro, batendo o líder do circuito mundial Michel Mcphail, dos Estados Unidos, estabelecendo um novo recorde e assegurando uma vaga para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Além dessas modalidades, outros convênios foram firmados ou aditivados recentemente. O handebol recebeu um aditivo de R$ 2,62 milhões em dezembro de 2015 para a preparação da seleção feminina permanente para os Jogos Olímpicos, voltado para participação em competições internacionais e contratação de equipe multidisciplinar. No tênis de mesa, aditivo de R$ 1,11 milhão, também em dezembro, foi destinado à participação da seleção paralímpica em competições internacionais.