Bolsa Atleta abre inscrições para modalidades não-olímpicas

O Ministério do Esporte publicou, no Diário Oficial da União de sexta-feira (11), edital do Bolsa Atleta para esportistas de modalidades que não integram os programas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.As inscrições devem ser feitas pela internet até o dia 23 de novembro. O patrocínio será concedido aos atletas que obtiveram resultados esportivos em 2015, nos eventos indicados pelas entidades de cada modalidade.

Após efetuar a inscrição no site do Ministério do Esporte, os atletas terão até 28 de novembro para enviar à sede do ministério, em Brasília, os documentos que comprovem a aptidão ao programa.

O resultado final deverá ser publicado na primeira quinzena de janeiro de 2017. Os atletas contemplados serão subdivididos nas categorias Internacional e Nacional, com bolsas no valor de R$ 1.850,00 e R$ 925,00, respectivamente.

São apoiados na categoria Internacional atletas a partir de 14 anos que integraram a seleção nacional de sua modalidade, representando o Brasil em campeonatos ou jogos sulamericanos, panamericanos ou mundiais, obtendo até a terceira colocação em competições referendadas pela confederação como principais eventos, e que continuem treinando para futuras competições oficiais internacionais.

Já a Nacional patrocina atletas a partir de 14 anos que participaram do evento máximo da temporada nacional, sendo tais competições referendadas pela confederação como principais eventos ou que integrem o ranking nacional da modalidade, obtendo, em qualquer caso, até a terceira colocação e que continuem treinando para futuras competições oficiais nacionais.

Bolsa Atleta

Principal apoio federal aos atletas brasileiros, o programa Bolsa Atleta, criado em 2005, já concedeu cerca de 51 mil bolsas para 20,7 mil atletas de todo o País. Em 2015, mais 6.132 atletas de modalidades olímpicas e paralímpicas foram contemplados e mais 1.004 de modalidades não-olímpicas.

Neste ano, 6.217 atletas de modalidades olímpicas e paralímpicas são patrocinados. Na década, os recursos destinados ao programa superam R$ 890 milhões, o que confere à política pública o posto de maior programa de patrocínio esportivo individual e direto do mundo.

Com a escolha do Brasil como sede olímpica e paralímpica, o governo federal criou em 2012 a mais alta categoria do programa, a Bolsa Pódio, destinada a atletas com chances de disputar medalhas nos Jogos Rio 2016.
Atualmente, 146 atletas de modalidades individuais (olímpicas e paralímpicas) são patrocinados com bolsas que variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil.

Fonte: O Debate de Macaé

Comentários