Macaé Basquete: Muito mais que um time, um sentimento

Instituição que se firma no cenário esportivo ganha evidência e muitos aplausos no município. Trata-se da Associação Macaé de Basquete, que é muito mais do que apenas um time de basquete profissional. É uma pirâmide esportiva que trabalha em várias frentes: esporte de alto rendimento, projeto educacional de aulas gratuitas e trabalho de inclusão social, firmando-se com seus conceitos de superação, união de equipe, respeito e muita solidariedade humana.

O técnico e Coordenador Geral da Associação, Leonardo Costa, ressalta que atualmente o Macaé Basquete é a única equipe do país que tem todos os projetos desta pirâmide esportiva em atividade: o esporte de alto rendimento na principal competição da modalidade no país, as categorias de base e os projetos sociais Basquete na Praça e Basquete Sobre Rodas.
"Estou muito confiante com a equipe que formamos para o NBB, a chegada dos 4 novos reforços nos qualifica ainda mais para fazer uma excelente competição. Tenho certeza que ao lado de nossa torcida podemos surpreender e voltar aos playoffs", disse Leonardo.

Alto rendimento

Realmente, o Macaé Basquete se firma no cenário nacional com seu esporte de alto rendimento, já que vai disputar pela pela quarta vez o Novo Basquete Brasil (NBB), a competição mais importante da modalidade no país.

Segundo o técnico Leo, na temporada 2014/2015, a equipe se classificou de forma inédita para os playoffs e terminou a competição entre os oito melhores do país. Além do NBB, o Macaé disputou também o Campeonato Estadual e chegou na final da competição contra o Flamengo três vezes (2013, 2014 e 2015). Este ano, a equipe ficou em terceiro lugar, atrás de Flamengo e Vasco.

Basquete na Praça

O projeto Basquete na Praça oferece aulas gratuitas para crianças e jovens entre 8 e 16 anos em seis polos da cidade: Praças do Visconde, Lagomar, Washington Luiz, Aeroporto e Jardim Santo Antônio, além de um núcleo no Frade. Atualmente aproximadamente 250 crianças são contempladas pelo projeto.

De acordo com Leonardo Costa, a proposta do Basquete na Praça é a massificação da modalidade no município, oferecendo aulas gratuitas para crianças e adolescentes de Macaé. A ideia surgiu há quatro anos, quando logo foi iniciado e sempre fez parte da ideologia da instituição de deixar um legado para a cidade.

"Sempre acreditei que o esporte é uma das principais ferramentas de transformação social, pois através dele trabalhamos conceitos como superação, trabalho em equipe, respeito e solidariedade, que são tão importantes na formação do caráter do cidadão", frisou Leo.

Basquete Sobre Rodas

A equipe Basquete Sobre Rodas entra no âmbito social, educacional, esportivo e de inclusão, justamente por se tratar de um projeto que trabalha os conceitos de inclusão e superação, através do esporte. Além de disputar competições de basquete cadeirante em todo o país, a equipe vai até as escolas fazer apresentações de basquete sobre rodas, dá palestras e incentiva a inclusão social.

Este projeto esportivo-social conta com 30 participantes, que representa Macaé no cenário regional além de dar oportunidade aos cadeirantes que desejam iniciar a prática esportiva. "O que os atletas nos ensinam diariamente são lições de realizações fantásticas, que o ser humano é capaz quando se dispõe a trabalhar superando os limites e quebrando alguns paradigmas que muitas vezes são impostos pela sociedade", revelou o técnico.

Categorias de base

Outro expressivo trabalho da Associação Macaé de Basquete é o de fomentar as categorias de base, formando equipes Sub-13, Sub-15 e Sub-18. Atualmente o Macaé Basquete conta com três equipes em atividade: Sub-13, Sub-15 e Sub-18; além da equipe Sub-19, que já conquistou duas vezes o Campeonato Estadual (2013 e 2014).

Leo explica que, como os projetos são interligados, muitos atletas que iniciam no projeto Basquete na Praça passam a integrar as categorias de base. Outros, com destaque na base, são aproveitados na equipe profissional, como é o caso atualmente do jovem Matheus, de 20 anos, macaense, que saiu da praça, passou pela base e está no profissional.

"Nas categorias de base, damos a oportunidade àqueles atletas que se destacaram nos projetos sociais e passaram nos processos seletivos da participação de um treinamento mais específico, permitindo buscar a realização do seu sonho, que é ser um atleta profissional no futuro", esclarece Leonardo Costa.

Metas e desafios
Para o técnico, um dos maiores desafios do Macaé Basquete é tornar-se referência da modalidade no país. "Para isso, o Macaé Basquete tem buscado se estruturar e se profissionalizar dentro e fora de quadra, organizando setores importantes como Equipe de Marketing, Departamento Comercial e Assessoria de Imprensa, o que tem possibilitado a formalização de importantes parcerias com o setor privado", informou ele, acrescentando que os interessados em patrocinar a equipe devem entrar em contato, através do email comercial@macaebasquete.com.br.

Comentários