Vasco joga mal de novo, perde do Brasil de Pelotas e vê pressão aumentar

Em mais uma atuação ruim, o Vasco da Gama perdeu por 2 a 1 para o Brasil de Pelotas neste sábado (04), no Estádio Bento de Freitas, pela 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O time carioca chegou a buscar o empate, mas foi apático e previsível. Diogo Oliveira e Marcos Paraná fizeram os gols do time gaúcho, e Douglas deixou o dele.
O Xavante volta a vencer após cinco rodadas, mas mantém apenas chances mínimas de acesso. Com 49 pontos, o time gaúcho tenta embalar contra o Vila Nova nesta terça-feira (05). O Vasco, por sua vez, se vê pressionado por um pelotão de quatro equipes que buscam vaga na Série A. Com 58 pontos e três tropeços nos últimos quatro jogos, tenta recuperação contra o Luverdense, também na terça.

Quem se salvou: Douglas

O meio-campista foi o que mais propôs o jogo por parte do Vasco. Sua presença na área adversária foi um dos poucos aspectos positivos do Vasco, tanto que o gol saiu em uma chegada livre no início do segundo tempo. Douglas só foi mal quando tentou dar uma cabeçada no lateral Marlon e só não foi expulso porque o árbitro não viu. Vale menção a Martín Silva, que apesar de uma possível indecisão no gol sofrido fez várias boas defesas.

Quem foi mal: Jorge Henrique não funciona

Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
Entre todas as deficiências do Vasco no primeiro tempo, o atacante se destacou negativamente por não dar velocidade na ponta esquerda. A dupla com Júlio César deu pouco poder de fogo ao time por aquele lado, e Jorginho resolveu mudar no intervalo. Jorge Henrique saiu para a entrada de Thalles, e a equipe teve mais referência na etapa final.

Vasco melhora apenas o suficiente para empatar

Martín Silva teve que fazer duas defesas ainda no primeiro minuto, mas o susto não foi suficiente para dar atitude ao Vasco, que tomou o gol quando a inoperância estava no ápice. Mesmo com maior posse de bola, o time carioca chutou uma única vez durante todo o primeiro tempo – e para fora. A situação mudou após o intervalo, quando o visitante finalmente acordou e conseguiu o empate.

Brasil se ajusta às circunstâncias e é mais agudo

Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
O Xavante começou melhor, mas logo recuou e passou a explorar a falta de ambição do adversário. As saídas em contra-ataque assustaram algumas vezes, mas o gol saiu em um chutaço de Diogo Oliveira durante um cerco à área do Vasco. O time da casa foi muito mais efetivo, e a vantagem poderia ser maior no intervalo. Após sofrer o empate, o Brasil de Pelotas se soltou um pouco mais e arriscou mais vezes, sempre levando mais perigo. Foi premiado com o segundo gol e com a vitória.

Jorginho não consegue dar poder de fogo ao Vaso

Os momentos de ineficácia ofensiva do Vasco nas últimas semanas não têm sido raros. Neste sábado o jogo pelo chão foi previsível demais e a bola aérea também não funcionou. O ataque foi pouco criativo e não encontrou atalhos. Andrezinho rendeu muito pouco, e Nenê só apareceu no segundo tempo, quando finalmente, em poucos lampejos, deu mais qualidade à armação. Após o intervalo o Vasco foi minimamente melhor, mas muito distante de empolgar o torcedor. A derrota, inclusive, tem efeito contrário.

Transmissão da TV irrita torcedores

A recorrente queda de sinal do canal Premiere FC tirou os vascaínos do sério. O problema foi recorrente: começou ainda durante a execução do hino nacional e continuou com a bola rolando. Foram três paralisações na transmissão somente nos 30 primeiros minutos.

Ficha Técnica

Brasil de Pelotas 2 x 1 Vasco da Gama
Data: 05/11/2016
Local: Estádio Bento da Silva Freitas, Pelotas-RS
Hora: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique de Melo Salmazio (MS)
Assistentes: Leandro dos Santos Ruberdo (MS) e Marcos dos Santos Brito (MS)
Cartões Amarelos: Leandro Camilo, Washington e Xaro (Brasil de Pelotas); Douglas e Madson (Vasco)
Cartão Vermelho: não houve
Gols: Diogo Oliveira aos 27 minutos do primeiro tempo. Douglas aos 4', e Marcos Paraná aos 41 minutos do segundo tempo.
Brasil de Pelotas: Eduardo Martini; Weldinho, Cirilo, Leandro Camilo e Marlon; Leandro Leite, Washington, Felipe Garcia e Diogo Oliveira (Marcos Paraná); Ramon (Gustavo Papa) e Jonatas Belusso (Nem). Treinador: Rogério Zimmermann.
Vasco da Gama: Martín Silva; Madson, Rodrigo, Luan e Júlio César; William (Bruno Gallo), Douglas, Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique (Thalles) e Ederson. Treinador: Jorginho.

Comentários