Goytacaz com verba da TV bloqueada por dívidas trabalhistas

Depois de sair da fila de espera onde ficou por 25 anos no pelotão de baixo do futebol do Rio, o Goytacaz ainda padece com os efeitos das desastrosas administrações que se sucederam na rua do Gás. Agora, o clube luta para obter na Justiça a liberação de parte dos recursos repassados pela Federação de Futebol do Rio de Janeiro, por conta do pagamento da TV Globo como detentora dos direitos de transmissão do Estadual da Série A.

Com o bloqueio judicial da verba, devido a débitos trabalhistas, o clube espera outra decisão da Justiça para que seja liberada pelo menos uma parte do dinheiro. Por cada jogo disputado nesta seletiva, a Federação repassa pouco mais de R$ 100 mil a cada clube.

— Não temos responsabilidade com esses débitos. Trata-se de dívidas que nos deixaram administrações que passaram pelo Goytacaz. Mas estamos com um corpo de advogados no Rio de Janeiro para tentar desbloquear pelo menos uma parte da verba. É uma situação que pode inviabilizar a permanência do clube na primeira divisão — disse o presidente Dartagnan Fernandes.

Diante do sufoco causado pelos problemas financeiros, o presidente apela à sua torcida para que compareça ao jogo decisivo desta quinta-feira à noite, no Aryzão, contra a Cabofriense pela segunda rodada da seletiva da competição.

— A renda vai nos ajudar muito a cumprir nossos compromissos financeiros. Até para que os jogadores tenham tranquilidade e não haja influência dentro de campo — acrescentou o mandatário alvianil. Os jogadores ainda não receberam os salários do mês de novembro, mas os dirigentes esperam que amanhã, com uma boa arrecadação, pelo menos 50% seja quitado.

Enquanto os dirigentes buscam resolver os problemas extracampo, o técnico Paulo Henrique tenta achar soluções para que a equipe não reprise a fraca atuação contra o Macaé, na derrota por 3 a 1 na primeira rodada desta primeira fase.

No apronto desta terça-feira, o treinador colocou em campo uma formação. Na segunda parte do treinamento, entrou em campo um time completamente diferente. “Ainda tenho dúvidas. O certo é que o time não pode repetir a atuação horrível contra o Macaé”, disse.

Fonte: Folha da Manhã