Seletiva: Goytacaz quer a primeira vitória e a Cabofriense pode ficar perto de classificação

A fraca atuação contra o Macaé e a derrota na estreia da seletiva do Campeonato Estadual deixaram marcas de desconfiança na torcida do Goytacaz em relação ao time nesta fase inicial da competição. No entanto, diante das hostilidades após a partida da semana passada no Moacyrzão, os jogadores reivindicam um crédito de confiança junto aos torcedores, até mesmo pela conquista do acesso à Série A após 25 anos na fila de espera. Assim, cobram o reconhecimento da massa alvianil no jogo decisivo contra a Cabofriense, nesta quinta, às 20h30, no Aryzão, pela segunda rodada da disputa.

— Merecemos um crédito de confiança pelo que já fizemos em 2017. O clube ficou há 25 anos sem ir à Série A, nós conseguimos este ano. Fomos muito mal em Macaé, mas o que ocorreu lá acontece também com grandes equipes do futebol mundial. Há dias em que nada dá certo. Temos a certeza que contra a Cabofriense voltaremos a jogar bem e vencer — disse o volante Gabriel Galhardo.

Galhardo admite que a derrota e o fraco desempenho da equipe em Macaé mexeram com o ânimo do elenco alvianil, situação contornada pelo técnico Paulo Henrique.

— Nossa autoestima ficou em baixa, sobretudo pelas hostilidades de torcedores após o jogo. Não merecíamos pelo que fizemos este ano. O Paulo conversou muito com a gente, ele é muito bom nisso e levantou nossos brios — reconheceu.

Mas o problema na Rua do Gás ainda é financeiro. Com dificuldades para pagar os salários, os dirigentes foram surpreendidos pelo bloqueio judicial da verba da TV Globo que seria repassada ao clube, em razão de dívidas trabalhistas.

Apesar dos problemas, Paulo Henrique busca levantar a moral do grupo. “Conversei com eles e só temos uma saída: vencer o jogo de amanhã. É a única solução que temos para melhorar a nossa situação”.

A presença da torcida é considerada pelo próprio treinador como de fundamental importância. O comandante faz questão de convocar a galera para que compareça em peso ao Aryzão e empurrar o time em busca da primeira vitória.

— Quero aqui convocar a torcida. O time precisa muito de seus torcedores nessa estreia em casa. Eles são sempre o nosso 12° jogador. Podem ficar tranquilos que a nossa equipe vai ser outra nesta quinta-feira. Vamos entrar em campo com a mesma garra e a mesma disposição que disputamos a Série B1 e fomos campeões. O que aconteceu em Macaé não vai mais se repetir — disse Paulo Henrique.

A novidade é que a diretoria conseguiu todos os documentos necessários para liberar a capacidade total do estádio, inclusive a arquibancada da Rua Formosa, e colocou 8.500 ingressos à venda. Os valores são de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) e podem ser comprados na bilheteria do estádio e outros pontos de venda pela cidade.

Fonte: Folha da Manhã

Comentários