Vai começar a Copa SP de Juniores nesta terça-feira com oito times cariocas

Imagem relacionada
A Copa São Paulo de Futebol Júnior, competição de base mais importante do Brasil, começa nesta terça-feira (02/01) e, pelo segundo ano consecutivo, os times do Rio de Janeiro terão oito clubes participantes, um recorde. Exatamente como em 2017, estarão em campo Boavista, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Madureira, Nova Iguaçu, Vasco e Volta Redonda, em busca não só de vitórias mas também de revelar novos valores para seus times profissionais e, quem sabe, para o futebol brasileiro como um todo. Uma luta que promete ser empolgante desde o início.

Antes da bola rolar, acompanhe uma análise sobre os oito clubes do Rio nesta 49ª edição da Copinha. 

BOAVISTA
image
É a segunda vez que o time de Saquarema voltará as atenções para a Copinha. Em 2017, o time decepcionou e não conseguiu passar da primeira fase, deixando o torneio sem nenhuma vitória. A preparação para o campeonato que está chegando foi feita durante o Torneio Octávio Pinto Guimarães (OPG), onde o time também não foi muito longe. Se não entra como favorito no torneio, o Verdão sonha em, pelo menos, conquistar uma classificação para a fase de mata-mata, o que já seria digno de grande destaque.

Técnico: Hermes Júnior
Assim como em 2017, o treinador segue no comando da equipe. Observou a formação do elenco durante o OPG e é um notório conhecedor do elenco. Tem experiência em elencos profissionais mas tem mesmo se dedicado à base recentemente e é este conhecimento que pode ajudá-lo a ter a fórmula ideal para o sucesso do time de Bacaxá.

Destaque: Marcelo
Há tempos, o centroavante de 19 anos (recém-completados) vem se destacando na base alviverde. Jogador rápido e goleador, é a grande esperança de gols e uma peça com a qual, certamente, o clube poderá contar no futuro para ajudar seu elenco profissional. Vale ter atenção em seu chute e seu bom posicionamento.

Tabela e histórico:
Onde vai jogar: Osvaldo Cruz (Estádio Municipal Breno Ribeiro do Val)
Grupo: 6, ao lado de Osvaldo Cruz (SP), Internacional (RS) e Capital (TO)
Melhor participação: primeira fase (2017)


BOTAFOGO
image
Não é de hoje que o Alvinegro vem de campanhas de sucesso na base. Em 2017, o time foi campeão do OPG em uma emocionante arrancada na reta final, superando fortes adversários como Flamengo e Portuguesa. Agora, o experiente time (uma vez que vários jogadores estiveram em campo na última Copinha) quer mostrar porque ficou entre os melhores da edição passada, quando chegou às oitavas de final da Copinha. O ritmo de competições e entrosamento do elenco são pontos bastante favoráveis.

Técnico: Eduardo Barroca
Esteve cotado para fazer parte da comissão técnica dos profissionais após a saída de Jair Ventura, mas preferiu ficar mesmo nos juniores, onde tem grande prestígio com o elenco e vem conquistando resultados contundentes. Nos últimos 12 campeonatos que disputou, chegou à final em seis, conquistando quatro troféus.

Destaque: Ezequiel
Atacante de 19 anos, já teve oportunidades no elenco profissional e marcou até gol, no empate do Glorioso com o Cruzeiro, pela última rodada do Brasileirão. Rápido e ágil, costuma cair pela direita. Começou a ter destaque ainda nos juvenis, mas foram as boas atuações no sub-20 que o levaram a assinar contrato até 2019 com o Botafogo.

Tabela e histórico:
Onde vai jogar: Capivari (Arena Capivari)
Grupo: 13, ao lado de Capivariano (SP), Confiança (SE) e River (PI)
Melhor participação: vice-campeão (1971)


FLAMENGO
image
É natural sempre esperar alguma coisa do Flamengo em uma Copa São Paulo. Não só pelos títulos recentes, mas também pela qualidade dos jogadores revelados na Gávea. Se o elenco profissional é hoje cheio de "pratas da casa", o elenco de juniores pretende provar isso de novo. Até por muitos garotos já não estarem mais no sub-20, o plantel rubro-negro virá renovado para este ano; uma safra que chega motivada a aparecer e conduzir o Fla a mais um título na base.

Técnico: Mauricio Souza
Por ter trabalhado com o elenco sub-17 neste ano, conhece boa parte do elenco, que aproveitará muitos nomes vindos dos juvenis. Em 2017, ele treinou o time vice-campeão da Taça BH. Sua experiência na base (já comandou os juniores do Botafogo) o gabarita a ser um técnico de destaque na Copinha, embora pese contra o pouco tempo no cargo.

Destaque: Vitor Gabriel
O mais novo candidato a sucesso de Vinicius Junior no time sub-20 tem apenas 17 anos. Artilheiro e campeão do último Estadual de juvenis, o atacante começou no Nova Iguaçu, mas acabou indo mesmo parar na Gávea. Titular na Copa RS Internacional, em dezembro, surge como uma das sensações do Rubro-Negro para este ano.

Tabela e histórico:
Onde vai jogar: Barueri (Arena Barueri)
Grupo: 21, ao lado de Oeste (SP), Ji-Paraná (RO) e Aimoré (RS)
Melhor participação: campeão (1990, 2011 e 2016)


FLUMINENSE
image
Abalado pelo acidente automobilístico sofrido por seu técnico, Léo Percovich, o Tricolor irá a campo com uma motivação extra e em busca de um título que não vem há quase 30 anos, embora seja o Flu o maior campeão de Copinhas pelo Rio de Janeiro. A equipe fez uma pré-temporada forte em Xerém e chegou a enfrentar equipes profissionais para dar aos garotos mais constância e qualidade nos ensaios. Será um plantel renovado, assim como o do Flamengo, que jogará a competição.

Técnico: Marcelo Veiga
Assumiu após o acidente de Percovich, no meio de dezembro. O uruguaio sobreviveu, mas ficou dez dias hospitalizado e perdeu duas filhas pequenas. O grande choque obrigou o Flu a agir rápido, mas a escolha foi por um profissional que conhece muito bem a base tricolor, onde trabalha desde 2004 e é coordenador técnico.

Destaque: Dudu
Chamado de "Duduzão", chama atenção pelo porte físico, mas também pela boa técnica e facilidade para entrar na área. Atua como meia-atacante, tem 18 anos e se destacou no último Torneio OPG, onde o Fluminense chegou à segunda fase, mas acabou eliminado. Estará "em casa" na Copinha, uma vez que é oriundo do interior paulista.

Tabela e histórico:
Onde vai jogar: Marília (Estádio Bento de Abreu)
Grupo: 8, ao lado de Marília (SP), Mogi Mirim (SP) e Tubarão (SC)
Melhor participação: campeão (1971, 1973, 1977, 1986 e 1989)


MADUREIRA
image
Depois de várias semanas de treinamento, o Madura chega à Copinha confiando em suas origens e num trabalho que deixou legados positivos em 2017. Se não passou de fase na última Copinha, o Tricolor voltará a contar com muitos nomes daquele time, agora mais maduros, para buscar o esperado sucesso. Nos jogos-treino, a equipe conseguiu boas vitórias contra Boavista e Santa Cruz e deixou ainda boas impressões em jogos contra profissionais. Em Conselheiro Galvão, o clima é de otimismo pelo campeonato.

Técnico: Djair
Ídolo do clube, onde jogou na década passada, o agora treinador tentará levar aos meninos a experiência que teve nos tempos de júnior. Como técnico, está tendo sua primeira oportunidade, apesar de ter jogado profissionalmente até os 39 anos. Hoje, aos 46, é o nome de confiança para levar a garotada do subúrbio ao sucesso.

Destaque: Rickson
O meia já esteve em campo na última Copinha, mas voltará a incorporar o time tricolor. Se já demonstrou qualidade para figurar no time profissional, a forte concorrência o manteve no sub-20, onde terá mais espaço para mostrar um futebol criativo. Com 19 anos, arma bem o jogo e pode ser também utilizado no ataque.

Tabela e histórico:
Onde vai jogar: Fernandópolis (Estádio Cláudio Rodante)
Grupo: 1, ao lado de Fernandópolis (SP), Criciúma (SC) e Guarani (SP)
Melhor participação: oitavas de final (2005)


NOVA IGUAÇU
image
Os "frutos da terra" voltarão a ser colhidos na Copinha. Único dos pequenos a chegar mais longe na última edição, o Laranja Iguaçuano se preparou bastante, realizando oito jogos-treino na pré-temporada. O elenco é reforçado por muitos atletas que vieram do sub-17, mas é a "geração 98" que forma a maior parte dos destaques deste time, que já jogou junto na última edição do campeonato e chega renovada para o começo de mais uma temporada.

Técnico: Jefter Percy
É um treinador que está acostumado a trabalhar com base no clube da Baixada, onde já treinou também o elenco de infantis e juvenis. Jovem, tem conquistado resultados de sucesso com as equipes que comanda, mas terá pela frente o novo desafio de estar em um torneio nacional à frente de um clube cuja vocação é a de revelar jogadores.

Destaque: Patrick
Após uma temporada no Vasco, está de volta ao Nova Iguaçu. O meia de 19 anos é ágil e tem bom toque e bola. Se não pôde ficar em São Januário, melhor para os laranjas, que contam com uma referência técnica em sua armação de jogadas. Atuará em sua segunda Copinha na carreira, já que defendeu o time da Colina na última edição.

Tabela e histórico:
Onde vai jogar: Bebedouro (Estádio Sócrates Stamato)
Grupo: 12, ao lado de Inter de Bebedouro (SP), Cruzeiro (MG) e Batatais (SP)
Melhor participação: segunda fase (2017)


VASCO
image
É em 2018 que o Vasco quer esquecer as decepções passadas em Copinhas para, finalmente, faturar novamente o troféu. Com a possibilidade de repetir muitos nomes utilizados no campeonato passado, o atual campeão carioca de juniores chega forte para a Copa São Paulo. Se pagou um preço talvez mais alto por jogar os últimos torneios com times muito jovens, poderá colher os frutos destas experiências agora, com vários atletas entre 18 e 20 anos, mas já bastante calejados em torneios assim.

Técnico: Marcus Alexandre
Se sua rodagem em elencos profissionais, por times pequenos do Rio, já foi de sucesso, a trajetória na base é ainda mais respeitável. Formador de nomes como Coutinho, Luan, Souza, Alex Teixeira e Alan Kardec, estará em sua segunda Copinha consecutiva pelo Gigante da Colina.

Destaque: Robinho
Em relação a Copinhas, é um veterano: disputará seu terceiro campeonato. E só tem 18 anos! Muito veloz e habilidoso, lembra de fato o dono mais famoso de seu apelido por jogar aberto no ataque e não ter medo dos zagueiros rivais. Versátil, joga dos dois lados do campo e é um trunfo na equipe vascaína.

Tabela e histórico:
Onde vai jogar: Diadema (Estádio José Batista Pereira Fernandes)
Grupo: 26, ao lado de Água Santa (SP), Juventus (SP) e Espírito Santo
Melhor participação: campeão (1992)


VOLTA REDONDA
image
A modesta participação do ano passado é página virada no Voltaço. Preparando-se com antecedência, o elenco é formado por nomes que vêm de atividade nos Estaduais Sub-17 e Sub-20. No entanto, a Copinha será uma novidade para a maioria destes jogadores, já que apenas cinco deles estiveram em campo no torneio de 2017. Portanto, será uma oportunidade nova para um grupo de jogadores que fez bonito nos Estaduais recentes, mas espera explodir mesmo no cenário nacional.

Técnico: Neto Colucci
É um multidesportista, com passagem também pelo futebol de salão. Trabalha na base do Voltaço desde 2015 e foi também o treinador do Esquadrão na Copinha do ano passado. Já avaliou o elenco desta temporada como a melhor dos últimos tempos no Volta Redonda e acredita que seus garotos poderão surpreender.

Destaque: Matheus Pelé
Um dos poucos remanescentes da edição passada do torneio, o atacante de 19 anos pode carregar o peso de ter um apelido como este, mas não sente esse peso ao entrar em campo e tentar jogadas de habilidade. Destaca-se pela rapidez e facilidade em mudar de direção e arriscar chutes perigosos.

Tabela e histórico:
Onde vai jogar: Itapira (Estádio Chico Vieira)
Grupo: 19, ao lado de Itapirense (SP), Fortaleza (CE) e Estanciano (SE)
Melhor participação: primeira fase (1994 e 2017)

Fonte: FutRio

Comentários