Basquete: Macaé estreia na Liga Ouro neste sábado

De olho na estreia da Liga Ouro no próximo sábado (3), o Macaé Basquete segue com a rotina intensa de treinos. Essa semana, a equipe, que é a única representante do Estado do Rio na competição, tem trabalhado em tempo integral visando a primeira vitória na trajetória de retorno ao NBB 11. 

A rotina de treinos inicia logo cedo, no período da manhã, na academia, para melhorar o condicionamento físico dos jogadores. Logo em seguida, os atletas fazem a parte tática no Ginásio do Juquinha. Após período de repouso para almoço e descanso, no final da tarde eles retornam para a segunda etapa do treinamento. 

O primeiro adversário da competição será o São José Basketball (SP), em casa. O jogo está previsto para acontecer às 18h, no Ginásio do Juquinha. A equipe paulista também busca o retorno à primeira divisão. Ela foi vice-campeã do NBB na temporada 2011/2012. 

O segundo jogo, também em casa, será contra um dos maiores rivais na competição: o Corinthians, que volta ao basquete profissional após 22 anos e está investindo alto para conseguir uma vaga no NBB. O duelo será no dia 6 de março, às 19h30. 
Completando a sequência de jogos no Juquinha, o Macaé encara no dia 9 de março, às 19h30, o APVE/Londrina (PR). O time paranaense disputou o NBB na temporada 2009/2010 e, depois de ser desativado, foi retomado em 2016 e venceu o estadual de 2017.

Logo em seguida, o Macaé tem pela frente os seguintes jogos: Unifacisa Paraíba (PB), no dia 13 de março, na Arena Unifacisa; Basquete DF, no dia 15 de março, no Ginásio da ASCEB; Cerrado Basquete (DF), no dia 17 de março, no Ginásio da Lespan; o Brusque (SC), no dia 22 de março, em casa; e o APAB/Blumenau (SC), no dia 24 de março. 

O técnico do Macaé Basquete, Leonardo Costa, acredita que a Liga Ouro terá um nível técnico bem alto. "Essa será a edição mais disputada. Temos equipes fortes que estão brigando pelo mesmo objetivo que a gente. Assim como nós, elas estão investindo pesado na sua estruturação. Tivemos que dar um passo para trás, não por falta de mérito e sim por questões financeiras, mas, sem dúvidas, nunca estivemos tão bem preparados como estamos agora. Sabemos que não serão jogos fáceis, mas já superamos grandes times da NBB, por que seria diferente nessa competição?", enfatiza.

Comentários