Afonso Celso Pacheco foi o segundo colocado na categoria máster, da 68ª Prova de Primeiro de Maio

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas praticando esportes e atividades ao ar livre
O campista Afonso Celso Pacheco chegou no segundo lugar na categoria máster, na 68ª Prova de Primeiro de Maio, realizada no último feriado do Dia do Trabalhador, Parque Ecológico de Indaiatuba (SP). Essa é a segunda corrida mais importante de São Paulo, atrás apenas da tradicional Nove de Julho, que reuniu cerca de 600 atletas de vários estados do país.

— Nossa bateria contou com 50 minutos de prova, num circuito misto de subidas e descidas. Na largada aconteceu uma fuga de dois atletas, eu saltei nessa fuga, mas percebi que o pelotão logo encolheu e eu estava fazendo força à toa. Como minha característica é de chegada, então eu andei atrás do pelotão a corrida toda, entre os três últimos. Quando estavam faltando duas voltas para chegada comecei a pular para a frente e, na penúltima volta, eu já era o terceiro. Na última volta na chegada numa subida, eu já estava em segunda colocação — relatou Afonso.

A imagem pode conter: Afonso Celso, sorrindo, em pé e textoO ciclista campista, mesmo fora de suas características, alcançou a segunda posição no circuito, mantendo seus objetivos de alcançar mais uma vez o topo do ranking nacional com mais um título brasileiro

— Quando entramos na curva de 800 metros, um atleta lá de Indaiatuba mesmo forçou bem na chegada entrou por fora, fui com ele agarrei na rodada dele, mas perdi um pouco de potência porque não era minha característica, mas ainda assim chegamos em segundo — completou.

Fatalidade - Durante a prova, o ciclista Wagner Souza, conhecido como Chicletinho, 50 anos, morreu após passar mal durante a disputa da 68ª edição da Prova Ciclística 1º de Maio, no interior paulista. Chicletinho, que era morador de Indaiatuba, após passar mal, segundo relatos de testemunhas, teria abandonado a prova e procurado ajuda na ambulância, mas não resistiu. A suspeita é de que o atleta tenha sofrido um ataque cardíaco.

— Infelizmente houve essa fatalidade. Ele fez quatro voltas, passou mal e caiu sobre bicicleta sofrendo um infarto fulminante. De vez em quando acontece isso no ciclismo. É o segundo amigo que perco em três anos — lamentou Afonso, se referindo também à perda do ciclista Fábio Lemos Benzi, que faleceu quando treinava no Açu, em São João da Barra.

O campeão no geral da prova foi o argentino Francisco Chamorro, da equipe Funvic. Esta é a 3ª vez que Chamorro fatura a prova, depois das vitórias de 2010 e 2015. No feminino, Tatielle Valadares, também da Funvic, que foi 3º lugar no ano passado, levou a melhor no Sprint.
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
Fonte: Folha da Manhã

Comentários