Faltando 6 dias para a Segundona do Rio, conheça as histórias de Itaboraí e Olaria


Faltando 6 dias para a Segundona do Rio, hoje o GF ESPORTE irá destacar dois dos 21 clubes participantes da competição, por ordem alfabética. A competição está prevista para ocorrer em 29 datas, entre 19 de maio e 29 de setembro. Associação Desportiva Itaboraí e Olaria Atlético Clube, estão em destaque.
Resultado de imagem para Associação Desportiva Itaboraí
Associação Desportiva Itaboraí
Associação Desportiva Itaboraí, conhecido como Itaboraí e cujo acrônimo é ADI, é uma agremiação esportiva da cidade de Itaboraí, no estado do Rio de Janeiro, fundada a 30 de julho de 1976.

História
Participa do antigo Campeonato Estadual Fluminense em 1977 com grande êxito, conseguindo o vice-campeonato, ao perder o título para o Manufatora Atlético Clube.

Em 1978, disputa a Divisão de Acesso (Segunda Divisão) do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro, no primeiro certame após a fusão dos estados da Guanabara e Rio de Janeiro. A campanha é ruim e o clube não consegue se classificar para a segunda fase.

Resultado de imagem para Associação Desportiva ItaboraíAdvém um longo período de licença que termina apenas em 1995, quando o Itaboraí retorna ao profissionalismo. Disputa a Quarta Divisão com uma boa campanha, conseguindo se classificar para a última fase, sendo o quinto colocado na classificação geral, atrás somente de Tio Sam Esporte Clube, Belford Roxo Futebol Clube, Estrela da Serra Futebol Clube e Brasil Industrial Esporte Clube.

Em 2007, muitos pensaram que o clube havia retornado ao profissionalismo por conta de um homônimo que disputou a Terceira Divisão de Profissionais, mas tratava-se de uma outra agremiação intitulada Itaboraí Futebol Clube.

Em 2010, se inscreve para disputar a Terceira Divisão de Profissionais. Seu presidente, José Carlos Cobra, era o então secretário de Esporte e Lazer da cidade. Tinha como referência o trio Bicão, Bigode e Robinho os dois primeiros acabaram se transferindo para o Esporte Clube São João da Barra.
Resultado de imagem para Associação Desportiva Itaboraí
Em 2011 o ex-jogador e agora treinador Valdir Bigode acertou para comandar a Associação Desportiva Itaboraí (ADI) cercado de expectativa tropeça no comando do Águia tinha como referência o atacante rápido e baixinho "Carlinhos".

Em 2014 volta a disputar a Serie C do Campeonato Carioca. A volta ao futebol profissional causa mudanças, como na presidencia do clube, assume Hebson Barreto Cardozo Junior, conhecido apenas como Júnior Cardozo, é divulgado um novo escudo apenas com nome da cidade, para que o clube passe a ser conhecido pelo nome da cidade que representa e não mais pela sigla, porém, nome completo está mantido. Outra mudança passa pelas cores do clube. Antes nas cores azul marinho, branca e laranja, o novo símbolo tem um azul mais claro como predominante, com um estrelas representando os distritos da cidade e um fundo branco no centro do escudo, envolvido por aros dourados e um grande pássaro, também azul, no meio. Quem assumiu o comando técnico foi o ex- jogador do Botafogo Paulo Cesar e tinha como referência o goleiro Emerson Cesário tem dupla nacionalidade e já defendeu as cores do Timor-Leste, o zagueiro Evair, o capitão e ídolo Rudi, o lateral Marcelo,o meia Filipinho, e o atacante Açúcar. Rudi acaba se transferindo para o São Cristovão que conseguiu acesso a série B carioca deste ano.
Resultado de imagem para Associação Desportiva Itaboraí
Em 2015 disputou a série C do Campeonato Carioca. O clube anunciou a contratação do meia Willian Bersan, que disputou a última edição da Copa Rio pelo Boavista. Ele assinou com o Itaboraí até dezembro, se tornou uma das grandes esperanças da torcida. Outras contratações importantes foram a do centro-avante Edu e do meio-campista Caio Cezar, este último que teve uma grande passagem pelo Madureira e outra passagem um pouco mais breve pelo Boavista. O técnico Paulo César Teixeira, ídolo da torcida Legião Azul, se afastou do comando do time por problemas de saúde, sendo substituído por Brenner, ex-jogador do Vasco da Gama e que estava como auxiliar técnico. No dia 6 de agosto de 2015, em jogo histórico contra o São Gonçalo EC, a Associação Desportiva Itaboraí conquistou o acesso à Série B. O nome da partida foi do atacante Edu, com dois gols, além da assistência pro gol de Bersan. Em 23 de agosto de 2015, ainda foi campeão do Carioca Série C após vencer o Artsul no primeiro jogo com resultado a favor de 3-1 e depois empatar sem gols.

Atualmente disputa o Campeonato Carioca Série B. Para a competição o clube manteve a base do ano anterior, contratando reforços pontuais como o goleiro Dida, o zagueiro Raphael Neuhaus, formado pelas categorias de base do Fluminense, tendo inclusive disputado a Copa São Paulo de futebol Juniores de 2009, e o meio-campista Jeferson Paulista, ex-Botafogo. Foi finalista do primeiro turno do campeonato, a Taça Santos Dumont, empatando o primeiro jogo da decisão por 1 x 1 em casa e perdendo na volta no Estádio Jânio Moraes, casa do Nova Iguaçu pelo placar de 2 x 1.
Imagem relacionada
Chegou a deter uma das maiores invencibilidades do Brasil em casa, foram 29 jogos sem perder em casa entre o período de 18 de maio de 2014 até 17 de setembro de 2016, quando a equipe do Nova Iguaçu derrotou o Itaboraí no Alzirão pelo Placar de 1 x 0. Outro grande destaque tem sido a presença da torcida em jogos dentro e fora de casa, que fez com que o time tivesse a maior média de público da Serie B do Campeonato Carioca de 2016.

Em julho de 2016, foi confirmada sua participação na Copa Rio, pela primeira vez, no qual alcançou a semifinal, sendo eliminada pela Portuguesa da Ilha.
**************************************
Resultado de imagem para Olaria Atlético Clube
Olaria Atlético Clube
Olaria Atlético Clube é uma agremiação poliesportiva e clube de futebol profissional da cidade do Rio de Janeiro, localizada no bairro de Olaria, tendo sido fundada em 1 de julho de 1915, chegando ao centenário em 2015.

Seu estádio é o Antônio Mourão Vieira Filho, conhecido como "Rua Bariri", e atualmente disputa a segunda divisão do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro. Possui um Ginásio, Álvaro da Costa Mello, com capacidade para mais de duas mil pessoas.
Disputou a primeira divisão do Campeonato Brasileiro em 1973 e 1974. Sua maior conquista é a Taça de Bronze de 1981, um dos três módulos de disputa da antiga fórmula do Campeonato Brasileiro. Foi ainda vice-campeão carioca de 1933, em um dos campeonatos geridos pela então Associação Metropolitana de Esportes Atléticos (AMEA), certame filiado a CBD.

O escudo reúne suas atividades esportivas dos primeiros anos de fundação: futebol, tênis e escotismo do mar, atividade praticada na extinta praia de Maria Angu, aterrada durante as obras da Avenida Brasil. Foi o time que revelou Romário. É conhecido também por ser o último clube de Garrincha, grande craque de seu tempo.
História
O Olaria Atlético Clube (OAC) foi fundado no dia 1 de julho de 1915 e sua origem reside no futebol. Na Rua Filomena Nunes existia um grupo de rapazes que praticava o futebol naquele bairro leopoldinense, o que já era uma ousadia, visto que no início do século XX a prática do futebol era quase que exclusivamente das elites. Seus fundadores queriam que fosse criado um clube que ostentasse o nome do bairro e assim, em uma quinta-feira, dia 1 de julho de 1915, reunidos na casa do capitão Alfredo de Oliveira, na Rua Filomena Nunes 202 (atual 796) foi fundado o Olaria Futebol Clube. Seus fundadores foram Alfredo de Oliveira, Carolino Martins Arantes, Sylzed José de Sant’Anna, Elmano Jofre, Hermogêneo Vasconcellos, Manoel Gonçalves Boaventura, Isaac de Oliveira, Jaci de Oliveira e outros. Suas primeiras cores foram o preto e o branco e o primeiro escudo era constituído de um losango preto com as iniciais “OFC”.

Em 1920, o Olaria passou a chamar-se Olaria Atlético Clube, as cores mudaram para o azul e branco e foi concebido o atual escudo, cujo primeiro desenho é atribuído a um associado cujo apelido era “Gasolina”.Inicialmente o Olaria filiou-se à extinta Liga Suburbana e seu primeiro campo ficava na Rua Leopoldina Rego.
Já em 1931, o Clube conquistou um de seus mais importantes títulos, ao sagra-se, de forma invicta, Campeão da Segunda Divisão da Associação Metropolitana de Esportes Atléticos  (AMEA), passando pela primeira vez em sua história a poder participar da primeira divisão do campeonato estadual.

Em 1937, o Olaria sofreria um de seus maiores golpes da história pois, com a reunificação do futebol do Rio de Janeiro, o Olaria foi afastado da nova Federação, tendo inclusive sua existência ameaçada, mas em 1947 o Olaria retornaria triunfalmente à Primeira Divisão, com a construção de seu estádio na Rua Bariri. Naquele ano, no dia 6 de abril, era inaugurado o Estádio Mourão Filho, em jogo amistoso no qual o Fluminense venceu o Vasco por 5 a 4, com Friaça, do Vasco, marcando o primeiro gol do estádio.

Em 1950, com a inauguração do Maracanã, o Olaria deixava o “alçapão” (alcunha mais famosa de seu estádio) para jogar no gigante do Maracanã e fez bonito: no primeiro campeonato do Maracanã chegou à frente de Flamengo e Fluminense. Em 1954, foi o primeiro clube carioca a dar uma volta ao mundo. Em 1960, seu primeiro título da primeira divisão chegaria, ao sagrar-se campeão do Torneio Início, derrotando o Vasco na final[1]. Foi este também o primeiro título conquistado no recém-criado Estado da Guanabara.Resultado de imagem para Olaria Atlético Clube

No ano de 1962, com um timaço que contava com Murilo, Hartoldo, Navarro, Casemiro, Nélson, Walter, Cané, Rodarte, Romeu, o Olaria realizou uma excelente campanha no estadual, credenciando-se para a disputa do Rio-São Paulo no ano seguinte.

O ano de 1963 foi o que marcou a construção do Parque Aquático do Clube e, na gestão do então presidente José de Albuquerque é construído o Parque Aquático olariense tornou-se, até hoje, uma das referências de lazer na zona Leopoldinense.

A década de 1970 será riquíssima para o futebol do Olaria. Em 1971, o Clube chega na terceira colocação do estadual, atrás apenas de Fluminense e Botafogo. Isto sem ter feito um só jogo na Bariri, pois o campo estava em obras. Com um timaço que tinha Aroldo, Miguel, Altivo, Alfinete, Afonsinho, Marco Antônio, Luís Carlos, o Olaria, então de camisa listrada, deu um show de futebol durante todo o campeonato. O ano de 1972 marca a presença de Garrincha no Olaria, onde o “anjo das pernas tortas” encerraria sua carreira e marcaria seu último gol. Os anos de 1973 e 1974 marcam a participação do Olaria na divisão principal do Campeonato Brasileiro, quando conseguiu, inclusive, a façanha de derrotar o Santos por 2 a 1 em plena Vila Belmiro. No final da década de 70, mais exatamente em 1979, um menino franzino iniciava sua carreira como federado pelo Olaria: Romário de Souza Farias, que marcou os primeiros 7 gols de seus mais de mil pelo clube da Rua Bariri.

O ano de 1981 inscreveria o Olaria na galeria dos campeões brasileiros. O Olaria sagrava-se Campeão Brasileiro da Taça de Bronze, ao vencer o Santo Amaro na final. Comandados pelo técnico Duque, o Olaria tinha craques como Salvador, Lulinha, Mauro, Zeíca, Chiquinho, Paulo Ramos, Ricardo, Orlando.
Resultado de imagem para Olaria Atlético Clube
Rebaixado na Primeira divisão do Campeonato Carioca em 2005, o Olaria disputou em 2006 a Segunda Divisão do mesmo, no qual não teve uma campanha muito relevante. O time conquistou ainda em 2006 uma das quatro vagas que foram abertas para a Primeira divisão do Campeonato Carioca de 2007, através de uma seletiva que foi realizada com a presença de dezesseis clubes, tendo o Olaria chegado em terceiro lugar. Contudo a justiça anulou esse certame e o clube teve de jogar a segunda divisão no ano seguinte.

Em 2007 a segunda divisão carioca levou no total cinco times para a primeira divisão, mas o Olaria não esteve entre os contemplados. Porém com um ótimo trabalho feito em sua categoria de base o Olaria AC consagrou-se vice-campeão da Copa Roberto Dinamite de juvenis do mesmo ano, que é um torneio com clubes cariocas elaborado pelo ex jogador Roberto Dinamite, tendo como destaque alguns jogadores que vieram a despontar nos anos seguintes como: Wander (Contratado em 2008 pelo Manchester United - ING); Ivan (Transferido para Associação Atlética Portuguesa-RJ no ano seguinte.) e Yago Augusto (Hoje sem clube mas um dos principais destaques da equipe juvenil no ano de 2007).

Em 2008, a quantidade de vagas para o acesso à primeira divisão estadual reduziu para dois times. O Olaria, que teve como um dos destaques do torneio naquele ano o jovem atacante Assumpção, chegou ao quadrangular final e ficou em quarto lugar atrás de Bangu Atlético Clube, Esporte Clube Tigres do Brasil e Aperibeense Futebol Clube.
Resultado de imagem para Olaria Atlético Clube
Em 2009, consegue o acesso para primeira divisão do campeonato carioca, após cinco anos, perdendo o título da competição para o America FC.

Em 2010 ficou na oitava colocação na primeira divisão do campeonato carioca.

Em 2011, o Olaria fez grande campanha na Taça Rio e conseguiu se classificar para as semifinais do campeonato, mas acabou sendo eliminado pelo Vasco quando foi derrotado por 1x0.

Em 2012 ficou na décima quarta colocação na primeira divisão do campeonato carioca mas conseguindo permanecer na divisão de elite.

Em 2013, o Olaria fez uma péssima campanha no Campeonato Carioca, e acabou sendo rebaixado para a Segunda Divisão.

Em 2014, o Olaria foi vice-campeão da Taça Santos Dumont (1º Turno da Segunda Divisão do Campeonato Carioca), perdendo a final para o Barra Mansa F.C. O Azulão da Bariri também contratou o ex-ídolo do Botafogo, Donizete 'Pantera', para o cargo de gerente de futebol. No segundo turno, a Taça Corcovado, o Olaria somou apenas 6 pontos no grupo A (1V - 3E - 3D), ficando na penúltima colocação da chave. Após o término da Série B, o técnico Cleimar Rocha deixou o clube que permaneceu na segunda divisão. No sub-20, o Olaria conquistou o Campeonato Estadual da Série B na categoria.

Em 2015, o Olaria novamente não conseguiu acesso à primeira divisão e permanecerá na segunda divisão em 2016, mas chega ao centenário como um dos maiores clubes poliesportivos do estado do Rio de Janeiro, com um patrimônio grande e vida social ativa, além da tradição de ao longo dos 100 anos de sua existência, manter o futebol como atividade que o fez ser conhecido no Rio de Janeiro e no Brasil.

Basquete
No basquete masculino em 1968, o Olaria A.C. foi o ganhador do Campeonato Estadual de Basquete infantil numa memorável campanha, o técnico de basquete era Heleno Fonseca Lima, o clube voltou a vencer a competição desta categoria, dez a anos depois, em 1978. O Clube também tem duas importantes conquistas da categoria juvenil, sendo campeão estadual em 1972 e em 1997, esta última num título divido junto ao Flamengo e Tijuca. O Clube possui também os títulos do Torneio de Aspirantes nos anos 1972 e 1973, competição de preparação ao Campeonato Estadual Aspirantes. Na categoria adulto, o clube consegui um vice-campeonato na Taça Ivan Raposo em 1971 e dois vice-campeonatos na tradicional Taça Kanela em 1984 e 1996, todas três sendo competições de preparação ao Campeonato Estadual adulto.

No basquete feminino o clube conseguiu suas maiores conquistas na modalidade, dois títulos do Campeonato Estadual adulto em 1976 e 1978, um tricampeonato não veio porque em 1977 a competição não foi realizada. O Clube tem também um título do Campeonato Estadual juvenil em 1972 e do Torneio juvenil no mesmo ano 1972, além do título do Torneio infanto-juvenil de 1971. Atualmente nenhum Clube grande do futebol carioca investe na modalidade Basquete feminino, os clubes ficam restritos apenas a participar de competições masculinas, o que não ocorre no Vôlei onde investem em ambos, feminino e masculino.

Infelizmente, o basquete federado foi deixado de lado por esse tradicional clube da modalidade, que assim como o não menos tradicional Sport Club Mackenzie, fazem muita faltas as competições da Federação de Basquetebol do Estado do Rio de Janeiro, seu ginásio foi recentemente reformado, com melhorias nos pisos, pintura e na cobertura, mas são mantidas escolinhas fazendo manter vivo o saudoso espírito Olariense ao basquete.

Futsal

No ano de 2015, o clube retornou a disputar o campeonato estadual de futsal adulto no masculino. O futsal federado do Olaria voltou a participar da principal competição da Federação de Futebol de Salão do Estado do Rio de Janeiro (FFSERJ) onde já tinha sido campeão da competição no campeonato metropolitano adulto masculino do ano 2002. A entidade realiza duas competições anuais no adulto e nas bases, num semestre o campeonato carioca e no outro o campeonato estadual. O clube também já conquistou o campeonato estadual juvenil masculino de 1956 e o campeonato carioca infanto-juvenil masculino de 2004. Em 2017, o ex-craque da seleção brasileira de futsal Schumacher assumiu a coordenação do futsal do Olaria.

Amanhã iremos trazer as histórias de Sampaio Corrêa-RJ e Santa Cruz, até lá! 

Comentários