"Os 21 canarinhos": jogadores de Campos que foram convocados para a Seleção, hoje é a vez de Amaro Barbosa


Faltando 28 dias para a Copa do Mundo, o site GF ESPORTE já entrou no clima, e continua apresentando durante 21 dias a série "OS 21 CANARINHOS" que traz os 21 jogadores que nasceram em Campos dos Goytacazes ou começaram aqui suas trajetórias vitoriosas, e foram convocados para a seleção brasileira. No décimo quinto dia da série iremos falar de Amaro Barbosa, que jogou pela seleção em 1961.

Amaro Viana Barbosa nasceu em Campos dos Goytacazes, em 11 de abril de 1937 e morreu vítima de infecção urinária. Ele foi meio-campo da última equipe rubra campeã carioca, em 1960, e se formou em medicina na mesma época em que defendia o clube.
Foto (Foto: Arquivo)
- Aquele período foi ótimo, nosso time era muito bom. Nosso segredo? Nunca temíamos o adversário. E o nosso líder nessa campanha foi o Wilson Santos, que me orientou muito. Éramos muito unidos - disse certa vez ele sobre o América de 50 anos atrás, de acordo com o site oficial do clube.

Além do América, Amaro também jogou no Juventus de Turim, Corinthians, Portuguesa, e Bonsucesso-RJ, e foi convocado para a Seleção Brasileira em 1961. Diz o jornal "O Globo" que com o dinheiro da venda do jogador para o clube italiano, o então presidente do clube carioca, Giulitte Coutinho (ex-presidente da CBF), comprou a sede do Andaraí, onde foi levantado o pequeno estádio Volnei Braune, que mais tarde seria vendido para a construção de um shopping center.

Amaro, o Amaro Viana Barbosa, volante do América do Rio campeão Carioca de 60, morreu aos 73 anos de idade, no dia 22 de setembro de 2010 e seu corpo foi sepultado no Cemitério de Inhaúma, na capital fluminense.

Nascido em 11 de abril de 1937, em Campos-RJ, ele deixou três filhos e quatro netos.
 
Amaro morava na Rua Barão de Mesquita, Tijuca, Rio de Janeiro, foi gerente de futebol do América em Edson Passos-RJ , onde se localiza o novo estádio Giulite Coutinho, e era dono de uma loja de material esportivo em um shopping carioca.

Amaro jogou também na Juventus de Turim em 1961, no Corinthians, de 1962 a 1965, e na Portuguesa de 1965 a 1967 (veja nas fotos). Curioso é que ao vender o passe de Amaro para a Juventus de Turim, em 1961, o presidente Giulile Coutinho comprou o Andarai, antigo estádio do América, hoje vendido pelo clube para a iniciativa privada.
 
O ex-volante parou em 1969, no Bonsucesso. "Encerrei a carreira cedo e tenho muitas saudades daquela época", conta Amaro, que depois tentou a carreira de treinador.

`Cheguei a dirigir o Jair Picerni no Comercial de Ribeirão. O Jair era um grande jogador. Ele não tinha carro na época e voltava de carona comigo junto com o Maranhão e o Ademir Vicente", lembra. No América eu fui técnico do Ivo (Wortmann)´, emenda.
 
Mesmo depois dos 70 anos de idade, Amaro continuava jogando suas peladas, em vários campos cariocas, como o Albertão do Grajaú, o Chico Buarque, o Ataíde e o Sítio do Valdir, esses três últimos no Recreio dos Bandeirantes.

E aqueles que não conheciam o passado do ex-jogador ficavam impressionados com sua categoria e noção de marcação.
 
Jogos de Amaro pelo Timão
Amaro fez com a amisa corintiana 106 partidas (52 vitórias, 25 empates e 29 derrotas), marcou seis gols a favor e um gol contra. Estas informações são do Almanaque do Corinthians, do jornalista Celso Dario Unzelte.


VEJA OS CANARINHOS CAMPISTAS JÁ APRESENTADOS
*Policarpo Ribeiro (Poli)
*João Carlos Batista Pinheiro (Pinheiro)
*Valdir Pereira (Didi, Folha Seca)
*Amarildo Tavares da Silveira (Possesso)
*Mário Seixas
*Tite Vieira
*Jarbas Batista (Flecha Negra)
*Manuel Pessanha (Lelé)
*Hélvio Piteira
*Amaro da Silveira
*Paulinho de Almeida
*Edevaldo de Freitas
*Cleóbulo Faria (Soda)
*Acácio

AMANHÃ A SÉRIE "21 CANARINHOS" IRÁ DESTACAR: EVALDO, QUE JOGOU NA SELEÇÃO 1968. ATÉ LÁ....

Comentários