"Os 21 canarinhos": jogadores de Campos que foram convocados para a Seleção, hoje é a vez de Mario Seixas


Faltando 39 dias para a Copa do Mundo, o site GF ESPORTE já entrou no clima, e continua apresentando durante 21 dias a série "OS 21 CANARINHOS" que traz os 21 jogadores que nasceram em Campos dos Goytacazes, e foram convocados para a seleção brasileira. No quinto dia da série iremos falar de Mario Seixas, que jogou pela seleção em 1923, antes mesmo de existir a Copa do Mundo. Naquela época ele disputou o Sul Americano.

Um dos jogadores campistas mais famosos, com certeza não é conhecido no resto do Brasil, mas para quem é da terra, falar em Mário Seixas é recordar um ídolo eterno. Mário Seixas jogou no Americano (campeão em 1921-22-23 e 25), no Clube Bahiano de Tênis (futuro Bahia), na Portuguesa, no Santos (67 gols entre 1930 e 1935) e também nas seleções baiana e brasileira. Isso mesmo, Mário Seixas chegou a jogar pela Seleção Brasileira, no Sul-Americano de 1923. Nessa mesma seleção também estavam dois outros campistas, Amaro Silveira (pai de Amarildo, “O possesso”, ex-seleção brasileira bicampeã em 1962) e Soda.
Resultado de imagem para MÁRIO SEIXAS SELEÇÃO BRASILEIRA 1923
Sobre Mário Seixas, o craque da literatura brasileira, Nelson Rodrigues, escreveu na orelha de um livro sobre a história do Americano (e que você, leitor, verá abaixo) sobre o craque campista:
"(...) Campos tem uma tradição fulgurantíssima. Dois exemplos de cracks de nível mundial: - Mário Seixas e Amaro Silveira. Este último é o pai de Amarildo, o Possesso, que é outro campista autêntico. 

O consagrado Nelson Rodrigues, escreveu algumas palavras sobre Mário Seixas, em um livro sobre a história do Americano: “Nos meus tempos de garoto, eu o vi jogar. Ele fora magro, mas eu já fui encontrá-lo gordíssimo. Mas a vida é surpreendente: – com peso de Feola, de Abade da Brahma, o Mário Seixas era um jogador ágil, elástico, rápido. Tinha um altíssimo domínio de bola. Estava no mesmo nível dos maiores cracks do Brasil”.
Resultado de imagem para MÁRIO SEIXAS SELEÇÃO BRASILEIRA 1923
Ainda sobre Mário Seixas, o ex-presidente do Flamengo, Gilberto Cardoso, que também era campista, disse que "Mário Seixas foi melhor que Pelé". Pode parecer uma heresia, mas por aí temos noção do quanto jogava o "menino de ouro do futebol campista".

Histórico – Durante uma excursão pela Bahia, em 1929, o Santos enfrentou o Clube Bahiano de Tênis, tradicional equipe baiana da época. Vitória Alvinegra por 4×2, com gols de Mário Seixas para a equipe local. Com os dois gols marcados, Mário chamou a atenção da diretoria santista, e começou a ser monitorado. Em mais duas ocasiões, o meio-campista enfrentou o Santos, formando na Seleção da Bahia.

No ano seguinte, em 1930, Mário Seixas é contratado pelo time santista, e começa a ser uma das principais peças da equipe.

Já consagrado no Americano-RJ, onde foi Tetracampeão (1921-1922-1923 e 1925), e com passagem pela Seleção Brasileira, em 1923, Mário possuía grande experiência, e além de agregar com seu poderio ofensivo, tornou-se um dos líderes do elenco.

Foi uma das peças principais na conquista do Título Paulista de 1935, sendo o mais experiente daquela equipe.

Mário Seixas ficou na Vila Belmiro até o ano de 1936.

Nome completo – Mário Seixas
Posição – Meio-campista (meia-esquerda)
Nascimento – 22 de abril de 1902, em Campos, Rio de Janeiro.


VEJA OS CANARINHOS CAMPISTAS JÁ APRESENTADOS
*Policarpo Ribeiro (Poli)
*João Carlos Batista Pinheiro (Pinheiro)
*Valdir Pereira (Didi, Folha Seca)
*Amarildo Tavares da Silveira (Possesso)

AMANHÃ A SÉRIE "21 CANARINHOS" TITE VIEIRA, QUE JOGOU NA SELEÇÃO NA DÉCADA DE 1960, ATÉ LÁ....



Comentários