Com árbitro ruim, Brasil empatou com a Suíça e brecou a histeria de Evidências na Rússia

Brasil x Suíça
Rostov foi a cidade de abertura para a Seleção Brasileira na Copa do Mundo e a primeira a receber a festa que os brasileiros estão acostumados a fazer. Desde o início do fim de semana, os russos passaram a conviver com a energia em verde e amarelo. Clima de Copa. Música mais cantada nos karaokês do Brasil, Evidências embalou as noitadas às margens do rio Don, que corta a cidade. Mas a frenesi não entrou em campo neste domingo e havia uma forte Suíça pela frente. Resultado: empate por 1 a 1. 

Na véspera do jogo, Tite havia dito que um empate não seria ruim, dada a dificuldade do adversário e o histórico de classificação nos grupos da Copa. O Brasil pode chegar a sete pontos. Mas ficou um gostinho de quero mais na boca, até porque a presença maciça de brasileiros em Rostov foi mostra de que a Seleção voltou a estar amparada pela torcida: Quando eu digo que deixei de te amar é porque eu te amo, já cantava Chitãozinho e Xororó.


Eu tenho medo de te dar meu coração e confessar que eu estou em tuas mãos e me iludir com o golaço de Philippe Coutinho. Quer evidência maior de que ele iria cortar para o lado e bater no ângulo de pé direito? Típica jogada, sem chance para o goleiro Sommer e ponto de partida para grande festa brasileira no estádio. 

E nessa loucura de dizer que não te quero a cada jogada errada de Willian e Paulinho, ambos discretos, vou negando até as aparências, como o novo visual de Neymar, e sua fome de bola. O craque ficou muito com a redonda, mas foram poucas jogadas de efeito. Não jogou mal, mas faltou aquele diferencial que esperamos. Mas pra que viver fingindo, se eu não posso enganar meu coração e admitir que a Suíça também é um bom time?

Organizada, a seleção europeia empatou logo no início do segundo tempo, após cobrança de escanteio que terminou em cabeçada fatal de Zuber. Mas por que Miranda largou a marcação e Alisson não saiu do gol? O zagueiro reclamou de um empurrão do suíço e implorou pelo árbitro de vídeo, assim como Neymar. Cadê o VAR? Chega de mentiras, de negar o meu desejo, Fifa! Os brasileiros depois ainda reclamaram de um pênalti em Gabriel Jesus, mas também não houve VAR.

Com o gol, Tite tentou mudanças no meio de campo, com as entradas de Fernandinho e Renato Augusto, mas ainda assim o Brasil produziu pouco, exceto na pressão final com duas chances, uma de Miranda rente à trave. Ficou mesmo para o próximo jogo, agora em São Petersburgo contra a Costa Rica no dia 22. Vamos ganhar, Tite? Diz que é verdade, que tem saudade de vencer em Copa. Eu ainda me lembro do 7 a 1, então diga que ainda pensa muito em mim. Que ainda a Seleção quer viver pra mim e pra todo o povo que fez festa em Rostov.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 X 1 SUÍÇA
Local: Arena Rostov, Rostov (SUI)
Data-Hora: 17/6/2018 - 15h
Árbitro: Cesar Ramos (MEX)
Auxiliares: Marvin Torrentera (MEX) e Miguel Hernandez (MEX)
Público/renda: Não disponíveis
Cartões amarelos: Casemiro (BRA), Behrami, Schar e Lichtsteiner (SUI)
Cartões vermelhos: -
Gols: Philippe Coutinho (19'/1ºT) (1-0), Zuber (5'/2ºT) (1-1),

BRASIL: Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro (Fernandinho, aos 14'/2ºT) e Paulinho (Renato Augusto, aos 21'/2ºT); Willian, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus (Roberto Firmino, aos 33'/2ºT). Técnico: Tite.

SUÍÇA: Sommer; Lichtsteiner (Lang, aos 41'/2ºT), Schar, Akanji e Ricardo Rodríguez; Behrami (Zakaria, aos aos 25'/2ºT) e Xhaka; Shaqiri, Dzemaili e Zuber; Seferovic (Embolo, aos 34'/2ºT). Técnico: Vladimir Petkovic.