Estratégia do Americano funciona no Marrentão e alivia pressão na Série B1

image
A pressão existe, todos reconhecem e ninguém parece fugir dela. Mas, pelo menos nos próximos dias, o Americano deve ter à disposição um clima de maior tranquilidade. A vitória sobre o Santa Cruz por 3 a 0, em jogo atrasado da primeira rodada da Série B1, foi a primeira do clube em três partidas na competição. Mais do que superar o adversário, foi preciso encarar o trágico gramado do Marrentão, que impede a prática do bom futebol.

O atacante Maikon Aquino foi um dos que se virou bem no terreno irregular do estádio em Xerém. Ele participou decisivamente dos dois primeiros gols do Glorioso e reconheceu que não foi fácil estabelecer uma relação amigável com a bola.

- Campo irregular, atrapalha muito a equipe, que é técnica, mas soubemos nos adaptar e aproveitar as oportunidades para fazer um bom resultado. A gente sabia que precisava vencer. Tivemos a consciência, nesse jogo, que precisávamos fazer a vitória fora de casa. Temos agora um jogo difícil contra o Sampaio, fora, e vamos em busca dos três pontos para entrar de vez na briga entre os dois primeiros colocados - disse o camisa 7, que admitiu a existência de uma pressão constante.
image
- Pela grandeza que o clube tem, de ser vitorioso, tem que estar sempre almejando as vitórias. Torcedor tem todo direito de cobrar. Fomos eliminados na Série D, mas fomos a segunda melhor equipe do estado. Tivemos resultados ruins na Série B1, mas precisávamos dessa vitória para ter uma semana mais tranquila.

Outro atleta decisivo no triunfo sobre o Santa Cruz foi o meia Bruno Vianna. Ele, que vinha recebendo poucas oportunidades, parece ter assegurado uma vaga entre os titulares. Assim como Maikon Aquino, participou ativamente dos dois primeiros gols do Cano.

- A gente veio sabendo das condições do gramado. Sabíamos que seria um jogo muito pegado, muito aguerrido, e acho que a gente soube se impor, fomos firmes. Conseguimos fazer as jogadas dos gols e aqui tem que ser assim, na vontade, na raça. Isso é o Americano, sempre na vontade e na raça.

Há quem não teve dificuldade com adaptação
Abusando da sinceridade, Admilton garante não ter visto problema em atuar no péssimo gramado do Marrentão. Segundo o zagueiro, o campo de treinamento utilizado diariamente pelo Americano guarda muitas semelhanças pela falta de qualidade.

- A gente treina num campo desse. Igual esse. Estamos adaptados já. Não tinha como jogar mal. Não poderíamos cometer erros individuais como a gente vinha fazendo. Começamos bem, deixando os atacantes brigando lá na frente. Graças a Deus conseguimos os gols e a vitória.

Outro a falar, o meia Marquinhos acredita que os percalços encontrados servem para encher o Americano de confiança para o duelo de favoritos contra o Sampaio Corrêa, no fim de semana.

- Sabíamos da dificuldade do jogo, da dificuldade do gramado, da dificuldade que viria do adversário, que só valorizou nosso resultado. Agora sabemos que temos um confronto direto contra o Sampaio Corrêa, em Saquarema. É descansar esse tempo para fazer esse jogo lá e conseguir a vitória.

Americano e Sampaio Corrêa medem forças às 15h de sábado (9), no Estádio Lourival Gomes de Almeida, na Região dos Lagos.

Fonte: FutRio

Comentários