Polônia e Colômbia medem forças com favoritismo dos colombianos


Quem diria que o Grupo H da Copa do Mundo chegaria à sua segunda rodada já podendo ter uma das seleções favoritas à fase de mata-mata, Colômbia e Polônia, podendo ficar de fora? É seguro dizer que todos os prognósticos apontavam para o avanço de poloneses e colombianos, mas logo na estreia do mundial as coisas mudaram completamente. A Colômbia foi superada pelo Japão por 2×1 em um jogo repleto de altos e baixos. Já a Polônia, enfrentou a seleção mais modesta da Copa, financeiramente falando, e foi surpreendida pelo placar de 2×1. Com isso, este domingo (24 de junho), às 15h (horário de Brasília), será decisivo para a continuidade dos derrotados da primeira rodada. Por outro lado, ao meio dia, Japão e Senegal entram em campo e quem vencer carimba o passaporte para a próxima fase.

POLÔNIA DEPENDENTE DE LEWANDOWSKI
Os poloneses chegaram à Copa do Mundo com bastante tranquilidade ao garantir a liderança do seu grupo nas Eliminatórias Europeias. A campanha dos últimos anos foi tão boa que a equipe chegou ao mundial ocupando a 6ª posição no ranking da FIFA, fato que lhe concedeu o direito de ser cabeça-de-chave. Nesse contexto, o time comandado pelo técnico Adam Nawalka chegou à Rússia com o plano de jogo muito bem definido: Robert Lewandowski no centro das atenções.

Na estreia, diante do Senegal, a tática ficou bastante exposta. No final das contas acabou não dando certo. Os africanos souberam se fechar e jogar com muita paciência para aproveitar os erros poloneses. Não é possível dizer que a Polônia tem uma seleção ruim, porque não tem, mas é seguro afirmar que com certeza não está no nível de ser uma cabeça-de-chave.

Hoje, é um time completamente dependente do centroavante e isso pode ser bastante perigoso para a sequência da competição, principalmente porque não há necessidade de apostar nisso o tempo inteiro, já que existe qualidade para produzir mais do que isso. A velha máxima de que em time que está ganhando não se mexe talvez precise ir por terra para que a Polônia prossiga no mundial.

COLÔMBIA QUER REPETIR FEITO DE 2014
Time repleto de bons jogadores, a Colômbia decepcionou bonito na estreia da Copa do Mundo. Porém, por motivos diferentes. Isso porque, contra o Japão,  logo aos três minutos de partida o volante Carlos Sánchez cometeu pênalti e foi expulso, complicando a vida dos sul-americanos. Jogando com um a menos durante praticamente o jogo todo, até que o time comandado por José Pekerman conseguiu se superar e arrancar um empate. Mas sofreu o segundo gol e perdeu.

Em campo, o futebol colombiano não foi necessariamente ruim. Nomes como James Rodríguez, Cuadrado e Falcão García são os principais e precisam assumir a liderança técnica para que o time possa avançar de fase. Taticamente a Colômbia demonstra características interessantes, mas precisa ficar atenta ao seu sistema defensivo, que por vezes fica bastante exposto.

Na Copa do Mundo de 2014 os colombianos alcançaram as quartas-de-finais, melhor campanha da sua história, e contava com diversos atletas que compõe o elenco deste ano. Isso por si só prova que existe qualidade no elenco de Pekerman. Entretanto, o jogo contra a Polônia vai ter caráter decisivo e vai ser preciso muito mais do que apenas técnica.

PROVÁVEIS ESCALAÇÕES
Polônia: Szczesny, Piszczek, Cionek, Pazdan, Rybus, Krychowiak, Grosicki, Zielinski, Blaszczykowski, Milik e Lewandowski. Técnico: Adam Nawalka.

Colômbia: Ospina, Arias, Davinson Sánchez, Murillo, Mojica, Lerma, Izquierdo, Quintero, James Rodríguez, Cuadrado e Falcão García. Técnico: José Pekerman.

Comentários