Seleção Brasileira enfrenta a Suíça no primeiro passo rumo ao hexa na Copa do Mundo


Chegou a hora do maior campeão mundial se apresentar pela primeira vez na Rússia nesta Copa do Mundo. Momento de mostrar o motivo que faz a Seleção Brasileira ser apontada como favorita para colocar a sexta estrela acima do escudo. Neymar, Coutinho e Gabriel Jesus carregam a missão de repetir o mesmo sucesso de gênios como Pelé, Garrincha, Romário, Ronaldo e outros. E isso começa pelo primeiro passo: o da estreia neste domingo, às 15h (de Brasília), contra a Suíça, na Arena Rostov-On-Don, em Rostov, no Grupo E.

Único país presente em todas as Copas do Mundo desde 1930, no Uruguai, o Brasil só foi derrotado nas duas primeiras estreias - 2 a 1 Iuguslávia e 3 a 1 Espanha, em 1934, na Itália - e tenta, em 2018, chegar à 10ª vitória consecutiva. Aliás, a última vez que a Seleção tropeçou em um início de Mundial foi em 1978, na Argentina, ao ficar no 1 a 1 com a Suécia. Outras estatísticas também jogam a favor, como ter triunfado no duelo inaugural sempre que conquistou um dos cinco títulos.   

O histórico recente, porém, demonstra que as estreias não reservam jogos fáceis. Nas últimas cinco partidas iniciais, só uma Vez o Brasil marcou mais de dois gols. Isso ocorreu há quatro anos, quando bateu a Croácia, por 3 a 1, na Arena Corinthians, em São Paulo. Naquela ocasião, porém, a equipe sofreu até se encontrar em campo e saiu perdendo com gol contra do lateral-esquerdo Marcelo. Além dele, Neymar (que anotou dois tentos), Thiago Silva e Paulinho são os remanescentes que seguem como titulares.  

Desde 1998, os triunfos foram sempre apertados, sendo quatro deles por apenas um gol de vantagem. Essa diferença, aliás, se repetiu em sete das 20 estreias da Seleção. A diferença mais elástica nos últimos anos foi justamente o duelo de 2014 diante da torcida brasileira. Com um ataque poderoso sob o comando de Tite, a Seleção tenta acabar com essa sina.

Os duelos contra a Suíça tendem a ser equilibrados. Na história, as seleções se enfrentam apenas uma vez em Copas. Em 1950, no Mundial disputado no Brasil, as equipes ficaram no 2 a 2 em partida no Pacaembu, em São Paulo. No geral, os times principais se enfrentaram oito vezes, com três vitórias brasileiras, duas suíças e ainda foram três empates.

Antes da Copa, o Brasil venceu os dois amistosos que disputou. A equipe bateu a Croácia, por 2 a 0, com gols de Neymar e Firmino, e fez 3 a 0 em cima da Áustria, em Viena. Gabriel Jesus, Neymar e Coutinho marcaram os gols naquela ocasião. A Suíça também conquistou resultados expressivos no pré-Mundial. A seleção ficou no 1 a 1 com a Espanha e superou o Japão, por 2 a 0, fechando assim a preparação.

Estreias da Seleção nos Mundiais

2014 - Brasil 3 x 1 Croácia
2010 - Brasil 2 x 1 Coreia do Norte
2006 - Brasil 1 x 0 Croácia
2002 - Brasil 2 x 1 Turquia
1998 - Brasil 2 x 1 Escócia
1994 - Brasil 2 x 0 Rússia
1990 - Brasil 2 x 0 Suécia
1986 - Brasil 1 x 0 Espanha
1982 - Brasil 2 x 1 União Soviética
1978 - Brasil 1 x 1 Suécia
1974 - Brasil 0 x 0 Iuguslávia
1970 - Brasil 4 x 1 Tchecoslováquia
1966 - Brasil 2 x 0 Bulgária
1962 - Brasil 2 x 0 México
1958 - Brasil 3 x 0 Áustria
1954 - Brasil 5 x 0 México
1950 - Brasil 4 x 0 México
1938 - Brasil 6 x 5 Polônia
1934 - Brasil 1 x 3 Espanha
1930 - Brasil 1 x 2 Iuguslávia

FICHA TÉCNICA
BRASIL X SUÍÇA

BRASIL
Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro e Paulinho; Willian, Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus. Técnico: Tite.

SUÍÇA
Burki; Lichtsteiner, Schar, Akanji e Rodriguez; Behrami, Xhaka e Dzemaili; Embolo, Shaqiri e Seferovic. Técnico: Vladimir Petkovic.

ARBITRAGEM: Cesar Ramos apita, auxiliado por Marvin Torrentera e Miguel Hernandez (trio do MEX).
DATA E HORÁRIO: domingo, às 15h (de Brasília)
LOCAL: Arena Rostov-On-Don, em Rostov (RUS).

Comentários