Suado! Saiba como Uruguai venceu o Egito e superou longo tabu em Copa

Egito x Uruguai
O Uruguai venceu, em Ecaterimburgo, o Egito na sua estreia da Copa do Mundo, por 1 a 0, com um gol no final da partida marcado pelo zagueiro Giménez. Com um meio campo pouco inspirado, o Uruguai não fez boa partida e teve dificuldades de propor o jogo. Com Salah no banco, o goleiro El-Shenawy foi um dos melhores em campo com grandes defesas.

Depois de 28 anos sem jogar uma Copa do Mundo, o Egito fez boa partida, mas, inexperiente, não soube segurar o empate até o final. O Uruguai, porém, derruba um incômodo tabu: desde 1970 não vencia em estreias de Copa do Mundo. O Uruguai, com três pontos, garante a segunda colocação do Grupo A, com a Rússia, líder, pelo saldo de gols. Egito e Arábia Saudita completam o grupo, com nenhum ponto.
Uruguai x Egito
Gol salvador
Se a parte ofensiva uruguaia teve dificuldades, a dupla de zaga demonstrou segurança. O capitão Godín fez grande partida, inclusive, com bom apoio ofensivo. Seu parceiro de zaga, Giménez fez o gol da vitória. Após escanteio, o zagueiro subiu mais alto que a zaga egípcia e garantiu a vitoria uruguaia aos 45 minutos do segundo tempo.

Cavani e Suárez x El-Shenawy
Dois dos melhores atacantes do mundo, Suárez e Cavani sofreram com a falta de criatividade uruguaia. Os atacantes, porém, funcionaram bem jogando juntos. As melhores chances foram criadas pelos jogadores do Barcelona e PSG. Suárez teve três boas chances na partida, mas parou nas mãos do goleiro El-Shenawy, que seguro e com grandes defesas foi eleito o melhor jogador da partida. A mais bonita: uma defesa plástica após chute forte de Cavani de fora da area.
Egito x Uruguai
Meio campo uruguaio sem criatividade
O meio uruguaio foi composto por Vecino, Bentancur e Nández, estreantes em Copas do Mundo. A trinca não funcionou, muito por conta da marcação forte e adiantada do Egito. Pouco efetivo, a ofensiva uruguaia foi construída por ligações diretas. Vecino e Nandéz erravam passes e não conseguiram dialogar com os atacantes. Bentancur teve mais mobilidade e foi mais eficiente na marcação, mas também não rendeu o esperado.

Faltou tranquilidade
Sem Salah, o ataque egípicio perdeu muito na criatividade. Said e Trezeguet não conseguiam se aproximar de Mohnsen, que isolado no ataque, pouco tocou na bola. Encarregado de substituir Salah, Warda não teve a profundidade devida para surpreender a Celeste. Nas boas chances egípcias, faltou tranquilidade na conclusão das jogadas.

Elneny
O volante Elneny foi um dos melhores em campo. O jogador do Arsenal foi uma síntese do estilo de jogo egípcio na partida. Foi forte na marcação e trabalhou muito bem a posse de bola, ditando o ritmo da partida e do meio campo do Egito.
Egito x Uruguai
Salah no banco
Mohamed Salah foi confirmado para a partida, mas ficou no banco de reservas. Apesar da expectativa da torcida e da comissão técnica antes do jogo, o técnico Héctor Cúper preferiu não arriscar e poupar o jogador na estreia, até porque o Egito tinha o controle da partida. Mesmo sem entrar em campo, Salah foi destaque: toda vez que sua imagem aparecia no telão, a torcida vibrava e saudava o jogador efusivamente.

De Arrascaeta decepciona 
Antes da partida, o posicionamento do meia Arrascaeta era dúvida. O técnico Tabárez optou por lançar o meia mais aberto na esquerda, ao invés de centralizar o jogador. Com isso, Arrascaeta jogou mais próximo de Cavani e Suárez, mas não correspondeu. Na volta do segundo tempo, o jogador cruzeirense jogou mais centralizado, mas sem criatividade foi substituído por Cristian Rodríguez.

Próxima rodada
O Uruguai enfrenta a Arábia Saudita, na próxima rodada, no dia 20/06, em Rostov, às 12h. Enquanto o Egito joga em São Petersburgo, às 15h, no dia 19/06, contra a líder e anfitriã Rússia.
Egito x Uruguai
EGITO 0 X 1 URUGUAI
Local: Ekaterinburg Arena (Ecaterimburgo)
Data-Hora: 16/06/2018 - 09h (de Brasília)
Árbitro: Bjorn Kuipers (HOL)
Auxiliares: Sander van Roekel (HOL) e Erwin Zeinstra (HOL)
Público: 27.015
Cartões amarelo: Hegazy e Morsy (EGI)
Cartões vermelho: -
Gols: Giménez (aos 45'/2ºT)

Egito: El-Shenawy; Fathy, Gabr, Hegazy e Abdel-Shafy; Elneny e Hamed (Morsy, aos 5'/2ºT; Warda (Sohby, aos 38'/2ºT), Said e Trezeguet; Mohsen (Kahraba, aos 18'/2ºT)

Uruguai: Muslera; Varela, Godín, Giménez e Cáceres; Nandez (Sánchez , ao13'/2ºT) Bentancur, Vecino (Torreira, aos 41'/2ºT)  e De Arrascaeta (Cristian Rodrigues 13'/2ºT); Suárez e Tabárez

Comentários