Suécia e Coréia do Sul precisam vencer na estreia para se manterem com chances de classificação no Grupo F


Nesta segunda (18), às 09:00 (horário de Brasília), a tradicional seleção da Suécia estreia na Copa do Mundo enfrentando a Coréia do Sul, e precisa vencer para não se complicar no Grupo F. Com Alemanha e México na briga, os asiáticos devem ser o fiel da balança, e quem perder pontos para aquele que é teoricamente o time mais fraco da chave precisará percorrer um caminho muito mais difícil para se garantir nas oitavas-de-final.

Uma das equipes pode enfrentar o Brasil na segunda fase, portanto, confira nossos prognósticos e saiba como chegam Suécia e Coréia do Sul para a disputa do Mundial.

SUÉCIA TENTA PROVAR QUE PODE SER COMPETITIVA SEM IBRAHIMOVIC
O técnico Jan Andersson mostrou personalidade ao deixar o craque Ibrahimovic de fora da convocação, mas mesmo na iminência de uma estreia em Copa do Mundo após 12 anos de ausência, o maior goleador da história da seleção sueca segue como o assunto mais comentado nos bastidores. O comandante será muito cobrado se os resultados não vierem, e os que ficaram têm a obrigação de mostrar que a escolha foi acertada.

Sem Ibra, o time fez bonito nas Eliminatórias, terminando na segunda colocação do Grupo A, que tinha equipes fortes como França e Holanda. Na repescagem, os vikings despacharam ninguém menos que a tetracampeã mundial Itália.

Seu principal jogador é o meia Emil Forsberg, que atua pelo RB Leipzig, da Alemanha, mas o atacante Marcus Berg, autor de 21 gols em 25 partidas pelo Al Ain, dos Emirados Árabes, também pode roubar a cena. O que preocupa é a queda de produção do time nos últimos jogos. A Suécia ainda não venceu em 2018, nos quatro amistosos que disputou, perdeu para o Chile (2×1) e para a Romênia (1×0), e não saiu do empate contra a Dinamarca (0x0) e o Peru (0x0).

O time de Andersson segue uma linha muito parecida com a dos times ingleses das décadas passadas, um 4-4-2, com Toivonen e Berg como homens de referência no ataque e muitos chuveirinhos na área para aproveitar a estatura da dupla. Pode dar certo contra os asiáticos, mas será necessário mais do que isto para suplantar o México, e, principalmente, a Alemanha.

CORÉIA DO SUL É A FRANCO-ATIRADORA DO GRUPO F
A Coréia do Sul tem um longo histórico em Copas do Mundo, participa da nona edição consecutiva, mas até hoje só conseguiu avançar de fase duas vezes, em 2002, quando foi uma das sedes, e em 2010, na África do Sul. Na Rússia, estará em um dos grupos mais fortes da competição, e tem chances bastante reduzidas de voltar a disputar um mata-mata.

Para ter alguma chance, é fundamental que o time dirigido por Shin Tae-yong estreie com vitória, mas as últimas atuações deixaram poucas esperanças de que isto venha a acontecer. Nos nove amistosos disputados em 2018, os asiáticos venceram a Moldávia (1×0), a Letônia (1×0) e Honduras (2×0), mas foram derrotados por Irlanda do Norte (2×1), Polônia (3×2), Bósnia e Herzegovina (3×1) e Senegal (2×0), além de terem ficado no empate contra Jamaica (2×2), e Bolívia (0x0).

As maiores esperanças dos coreanos estarão depositadas no talento de Son Heung-min, que atua como ponta no Tottenham, mas na seleção é uma das referências no ataque. O setor de criação fica por conta do meia Jae-Sung Lee, enquanto Sung-Yeo e Young-Jung são os responsáveis por dar combate na cabeça-de-área. O esquema de jogo é o 5-2-1-2, que dá muita liberdade aos alas, e ao que tudo indica, será a formação da moda nesta Copa do Mundo.

RETROSPECTO DE SUÉCIA X CORÉIA DO SUL
Suécia e Coréia do Sul já se enfrentaram três vezes ao longo da história, mas nunca em uma Copa do Mundo. A primeira vez foi em um amistoso no ano de 1996, e a Suécia levou a melhor pelo placar de 2×0. Os outros dois embates aconteceram em 2005, e ambos terminaram empatados. Os times ficaram no 1×1 na Suécia, e não foram além de um 2×2 na Coréia do Sul.

Últimos jogos
15/05/1996 – Coréia do Sul 0x2 Suécia
21/01/2005 – Suécia 1×1 Coréia do Sul
11/11/2005 – Coréia do Sul 2×2 Suécia

PROVÁVEIS ESCALAÇÕES
Suécia: Olsen; Lustig, Lindelof, Granqvist, Marin Olsson; Larsson, Hijemark, Durmaz, Fosberg; Toivonen e Berg. Técnico: Jan Andersson

Coréia do Sul: Kim Seung-Gyu; Jeong-Ho Hong, KiSung-Yeung, Min-Jae Kim, Joo-Ho Park; Sung-Yeo, Young Jung, Jae-Sung Lee; Chang-Hoon, Son Heung-Min. Técnico: Shin Tae-yong