Vem goleada aí! Uruguai encara Arábia Saudita com Cavani e Suárez tentando acabar com a seca em Copas


A segunda rodada do Grupo A tem tudo para encaminhar a classificação do Uruguai. Com três pontos conquistados no triunfo sobre o Egito, a seleção sul-americana tem tudo para atropelar a Arábia Saudita nesta quarta-feira, às 20h. A vitória só não confirma a vaga da equipe na próxima fase se os egípcios ganharem da Rússia no dia anterior.

URUGUAI PRECISA VER O ATAQUE FUNCIONAR
O Uruguai passou no teste contra o Egito e conquistou os três pontos, mas a verdade é que o futebol merecia reprovação. A equipe simplesmente não criou e precisou de uma jogada de bola parada no final do jogo para conquistar a vitória. Com isso, fica a expectativa para uma atuação diferente contra a Arábia Saudita.

A partida é uma bela oportunidade para os atacantes balançarem as redes. Contando com uma das duplas mais mortais da competição, os uruguaios não veem o brilho de Cavani e Suárez aparecer em Mundiais faz tempo. A última vez foi na vitória de 2 a 1 sobre a Inglaterra, pela segunda rodada de 2014. Ainda naquela edição os dois passaram em branco no triunfo por 1 a 0 sobre a Itália – no qual o zagueiro Godin marcou – e na derrota por 2 a 0 para a Colômbia, pelas oitavas de final. Neste ano, o atacante do Barcelona até teve boas chances contra o Egito, mas desperdiçou todas. Diante dos sauditas agora é a melhor oportunidade para acabar com esta seca, pois depois terá um jogo decisivo contra a Rússia.

Com dois atletas de alto nível querendo correr atrás do prejuízo e dois defensores que são fortes na bola parada, o Uruguai não deve sofrer para conquistar mais três pontos. Certamente agora não terão que esperar até o último minuto para comemorar um gol, pois a expectativa é de uma boa goleada.

Aliás, o saldo é importantíssimo, pois caso o Egito vença a Rússia, a partida da rodada final passaria a valer como uma decisão e o número de gols contra os sauditas pode ser a questão que definiria as vagas. O fator também pode apontar quem vai ser o primeiro colocado do grupo se os russos é que ganharem dos egípcios. O posto é importante porque o chaveamento pode pôr a Espanha no caminho.

Contra os sauditas, o técnico Óscar Tabárez deve repetir a equipe da estreia, com: Muslera; Varela, Godín, Giménez e Cáceras; Nandez, Bentancur, Vecino e De Arrascaeta; Suárez e Cavani.

ARÁBIA SAUDITA TENTA EVITAR VEXAME MAIOR
A expressão “não existe mais bobo no futebol” é usada toda vez que uma zebra ganha uma partida. De fato ela não está errada, pois quando uma equipe tem consciência da sua limitação a primeira coisa que faz é estacionar o ônibus na frente do gol. Portanto, podem esperar por 11 jogadores sauditas no campo de defesa tentando segurar o 0 a 0 ou quem sabe tentar um único ataque.

Você certamente já viu e verá isso acontecer algumas vezes na história, mas não será nesta quarta-feira. A Arábia Saudita não tem forças para aguentar o Uruguai por 90 minutos. A questão aqui é evitar o máximo de tempo possível para não levar uma goleada ainda mais vergonhosa que os 5 a 0 da estreia. Diante de suas limitações, um saldo ainda maior não é impossível.

Sem ter muitas opções, o técnico Juan Antonio Pizzi deve ir para campo com: Abdullah Al-Mayuf; Al-Shahrani, Osama Hawsawi, Omar Hawsawi e Al-Harbi; Ateef, Salman Al-Faraj, Al-Dawsari e Al-Jassim; Al-Sahlawi e Al-Shehri.

RETROSPECTO DO CONFRONTO
As duas equipes se encontraram duas vezes e não faz muito tempo. A primeira foi em 2002, quando a Arábia Saudita ganhou por 3 a 2. Doze anos depois, os times voltaram a se enfrentar e ficaram no empate em 1 a 1.

Em Mundiais, o Uruguai só enfrentou a Coreia do Sul de representante asiático. Foram dois encontros, com uma vitória por 1 a 0, em 1990 e outra por 2 a 1, em 2010. Já os sauditas encaram uma seleção sul-americana na competição pela primeira vez.