Arraial ou Araruama? Um clube, dois times em dois torneios diferentes

image
Quando a bola rolar para a fase pré-oitavas de final da Copa Rio, nesta quarta-feira (25), o Arraial do Cabo estará de volta ao futebol profissional do Rio de Janeiro depois de três anos. Oficialmente, porém, o clube nunca se afastou. Isto porque acolheu o Araruama, que fez uma parceria com o Arraial e utilizou seu registro para disputar o Campeonato Carioca. Porém, o recurso que tem virado moda no Estado durante esta década verá seu momento mais inusitado durante esta semana: o mesmo clube jogará duas competições simultâneas, mas com planteis totalmente diferentes.

Enquanto a Arara abdicou de jogar a Copa Rio por já estar voltada para a Série B2 do Campeonato Carioca, a diretoria do Arraial manifestou interesse em entrar em campo. Com isso, montou elenco e comissão técnica próprios, desvinculados do time da Região dos Lagos, passando a treinar com um time separado para a estreia, diante do Audax. Enquanto o Araruama segue jogando a Terceirona, o grupo do Arraial se prepara, no Rio de Janeiro. Oficialmente, porém, se trata do mesmo clube, uma vez que o registro das equipes é o mesmo.

A curiosa estratégia se torna possível por conta da legislação que rege os clubes profissionais do Rio de Janeiro. Como é preciso pagar uma taxa de módicos R$ 500 mil para requerer a filiação junto à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ), é mais fácil e rentável buscar parcerias com equipes que já estejam filiadas, mas temporariamente inativas. Embora o Araruama seja arrendatário do Arraial do Cabo desde 2016, ano em que estreou na Terceira Divisão, o clube original nunca deixou de existir.

– O que fizemos foi montar uma equipe alternativa. O Flamengo não faz isso quando vai jogar a Copa Sul-Americana? Na segunda-feira, o Araruama jogou no Marrentão e o nosso time ficou treinando. Os jogadores poderiam até ser os mesmos nas duas competições, poderia utilizar os de qualquer equipe, afinal é tudo Arraial do Cabo. Só que não não tem como eles jogarem na quarta-feira, ficaria ruim para eles. Então, tivemos que contratar outros jogadores. Acredito até que os dois times se equivalem – diz o presidente do Arraial do Cabo, o ex-árbitro Walquir Pimentel.

De fato, ao observar o Boletim Informativo de Registro de Atletas (BIRA), é possível confirmar a fala do dirigente. Tanto os jogadores que fazem parte do plantel do Araruama quanto os novos contratados do Arraial podem ser encontrados como integrantes do mesmo clube. No entanto, por conta das dificuldades de calendário, um elenco enxuto e as já conhecidas limitações financeiras, o Araruama não poderia estar em campo nas duas competições, o que fez a diretoria arraialense se movimentar. O grupo recém-formado treina desde o meio de junho no Estádio Leônidas da Silva, em Bonsucesso.

Ainda em maio, o Araruama anunciou através de seu site oficial que estava abrindo mão da disputa da Copa Rio, justamente por conta do choque de calendário e dificuldades de cumprir com as pendências financeiras e viagens. A justificativa foi se focar unicamente na Série B2. Apesar da manifestação do clube, o presidente do Arraial do Cabo garantiu que, internamente, nunca se falou em desistir da competição:

– Ninguém falou nada. Quem fala pelo clube sou eu, eu é que sou o presidente... É que ninguém sabia como poderia ser possível jogar duas vezes dentro dessas condições. Para eles em Araruama é difícil. Mas nós nunca falamos que não iríamos disputar. Até porque eu tenho um compromisso com a Federação. E isso tem implicações. Não pode dizer que vai jogar e, depois que sai a tabela, dizer que não vai. Isso não é brincadeira. Pode gerar uma punição, uma multa. Vamos jogar, acredito que é uma boa equipe e na quarta-feira estaremos em campo.
image
Em campo, reforços parecem promissores
Se o retorno do Arraial do Cabo pegou muita gente de surpresa, o clube parece ter se preparado bem no sentido de contratar reforços. Os nomes que compõem o elenco comandado por Miro Gomes, veterano de tantos anos pelo Arraial, dão ao elenco a profundidade que uma competição como a Copa Rio exige. Jogadores com rodagens de respeito até por equipes da elite do futebol carioca estão entre as novidades.

Além dos já anunciados Wallace Rato, Q. Susto e Castro, o clube também surpreendeu ao trazer de volta ao Rio jogadores como o lateral-direito Ivan (foto acima), que tem mais de 100 partidas com a camisa do Olaria e estava no Serra (ES). Ele passou também, no Rio, pelo Bonsucesso. A zaga é reforçada ainda pelo experiente Thiago Eleutério, antigo nome de clubes como Olaria e Duque de Caxias, além de Oliveira, titular do São Cristóvão no ano passado.

O centroavante Marino é nome destacado que volta ao clube depois de alguns anos. Sua última oportunidade pelo clube foi em 2013, na Terceirona. Ele jogou pelo Serrano no ano passado, mas passou em branco em termos de gols. Também chegou do Leão da Serra o lateral-esquerdo Washington, enquanto o atacante Romarinho esteve no Audax durante a temporada passada e óutro que desembarcou no Tubarão.

– É claro que a gente sabe que os clubes da Segunda e da Terceira Divisão estão mais preparados que o nosso porque já vem jogando, mas vai ser um bom teste. A nossa equipe é boa, fizemos alguns jogos-treinos, ganhamos de 5 a 1 do São Cristóvão, enfrentamos o Heliópolis... Vencemos alguns testes contra equipes que são de um nível diferente das que encontraremos na Copa Rio, é verdade, mas vamos lá para jogar – garante Walquir.

Parcerias como Arraial/Araruama viraram mania
Não é de hoje que se vê equipes do Rio de Janeiro aglutinando-se para formar apenas um clube. Durante esta década, a prática é comum e começou com o Gonçalense, que arrendou o licenciado Tanguá em 2014, para depois comprá-lo em definitivo. Depois, o mesmo aconteceu com o Campos, que juntou-se ao Carapebus para disputar o Estadual da Terceira Divisão, mas encerrou a parceria após dois anos, conquistando uma licença própria. No ano passado, o Maricá arrendou o Rio de Janeiro, de Magé, concluindo sua compra de maneira oficial em 2018.

Parcerias e mudanças à parte, o Arraial do Cabo tem sua história própria dentro do futebol do Rio de Janeiro. O clube estreou na Terceirona em 1995 e chegou à Segundona cinco anos depois, conquistando logo de cara um vice-campeonato. Após alguns anos, o time passou a disputar a Terceirona do Carioca. Ao todo, foram 15 temporadas no futebol profissional do Rio, até o licenciamento, que aconteceu depois da Série C de 2015, altura em que o Araruama se aproximou para realizar a parceria.

Se apenas o futuro pode esclarecer como seguirá a parceria entre Arraial do Cabo e Araruama, já é possível dizer que o capítulo mais curioso destas parcerias está sendo escrito. A partida entre Arraial e Audax acontece nesta quarta (25), às 15h, no Estádio Joaquim de Almeida Flores, em Nilópolis.

Fonte: FutRio

Comentários