Fé renovada: Carapebus renasce com Ronaldo Paixão e sonha com milagre

A situação ainda é crítica, mas a vitória do Carapebus sobre o Gonçalense, por 2 a 1, renovou as esperanças da equipe do Norte Fluminense na luta contra o rebaixamento na Série B1 do Campeonato Carioca. O triunfo veio justamente na estreia de Ronaldo Paixão à beira do gramado. Ele, que vinha comandando a equipe sub-20, sobe de degrau com uma missão das mais complicadas pela frente. Fé é o que não falta.

- Foi um jogo onde todos cumpriram taticamente o que pedimos. E aí entra a motivação. É isso que podemos fazer para mudar esse quadro, a partir da motivação de cada um, podendo ajudar o outro. Temos que ir degrau a degrau, subindo aos poucos na tabela. Primeiro temos que fazer nossa parte para depois pensar nos outros. Se não fizermos nossa parte, não adianta pensar nos adversários. Que esse resultado possa ser o pontapé inicial para nossa arrancada. Enquanto tiver 1% de chance, teremos 99% de fé. Temos que nos agarrar a isso.

O jogo contra o Gonçalense foi praticamente todo disputado debaixo de forte pressão psicológica. Isso se traduziu nas três expulsões (uma do Carapebus) e no clima nervoso que tomou conta do segundo tempo, quando o time do Norte Fluminense concretizou a vitória. Mesmo trabalhando com um dos elencos mais jovens da Segundona, Ronaldo Paixão espera corrigir falhas emocionais apresentadas e que poderiam ter custado caro.

- Estamos encarando assim: cada jogo é uma final para a gente. E o psicológico é importante sim, não só no futebol, mas no esporte. Vamos trabalhar sempre, no dia a dia de treinamento, com calma. Para ser jogador de futebol, tem que jogar com a cabeça, e não só com bola no pé. Não adianta eu ter dois jogadores a mais em campo e depois perder um. Numa situação dessas eu tomo um gol e boto todo nosso planejamento a perder. Não colocamos as coisas a perder, mas vou conversar, chamar a atenção deles, até porque isso não pode voltar a acontecer. Que seja a primeira e última vez. Temos que apresentar o mínimo de erro possível para não sermos atrapalhados nessa reta final.

A sete pontos de sair da zona de rebaixamento, o Carapebus precisa andar próximo da linha de perfeição nos sete jogos que lhe restam na Série B1. No sábado (28), o adversário será o Angra dos Reis, no Ferreirão. Mais uma chance de transformar o drama em milagre.

Fonte: FutRio