Suécia e Suíça: o mais equilibrado e imprevisível duelo das oitavas de final


Nesta terça-feira (03), às 11 da manhã (horário de Brasília), Suécia e Suíça medirão forças no Estádio Krestovsky, em São Petersburgo, pelas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Os suecos vêm de uma grande vitória por 3×0 sobre o México, mas a equipe suíça está invicta, e mostrou no empate contra o Brasil o quanto é difícil de ser batida. Quem levar a melhor, junta-se ao seleto grupo das oito melhores seleções do mundo, e enfrenta o vencedor de Colômbia e Inglaterra no sábado.

Confira nossos prognósticos para a aquela que promete ser a partida mais equilibrada da segunda fase.

ALHEIA ÀS CRÍTICAS, SUÉCIA BUSCA HONRAR SUA TRADIÇÃO
Depois de perder para a Alemanha com um gol de Kroos aos 50 minutos da etapa complementar, em partida de arbitragem polêmica, a Suécia deu a volta por cima na terceira rodada, e com a vitória por 3×0 contra o México, classificou-se como primeira colocada no Grupo F.

A equipe nórdica chega com moral para o primeiro duelo da fase de mata-mata diante dos suíços, e rechaça as críticas ao seu estilo de jogo, considerado burocrático.

“Jogamos como estamos acostumados e todas as equipes acham que é loucura. Não temos o futebol mais atraente de se ver, os jornalistas ingleses dizem que somos entediantes. Não me incomoda o que as pessoas acham.”, disparou o meia Albin Ekdal, que foi além: “Felizmente, nenhum jogo é decidido por troca de passes curtos e movimentação.”

Em termos de tradição em Copas, a Suécia está bem à frente da Suíça, com um vice-campeonato e dois terceiros lugares em 12 participações. Porém, o país ficou de fora das duas últimas edições do principal torneio do futebol mundial, e apresenta um retrospecto recente inferior ao dos adversários. Seu principal feito nos últimos tempos foi despachar a Holanda e a Itália nas Eliminatórias da Europa.

Sem jogadores suspensos ou entregues ao departamento médico, o técnico Jan Andersson conta com força máxima para escalar seu time.

SUÍÇA TERÁ DESFALQUES
No lado suíço, o comandante Vladimir Petković perdeu dois jogadores importantes por suspensão. O zagueiro Schar e o lateral direito Lichsteiner, capitão do time, levaram o segundo cartão amarelo na partida contra a Costa Rica, e estarão fora de combate na terça-feira. Os atletas serão substituídos pelo experiente Djourou, e o mais novo contratado do Borussia Mönchengladbach, Michael Lang. O lateral terá a responsabilidade de marcar Forsberg, o principal jogador dos vikings.

“Pessoalmente, só conheço o Forsberg dos jogos que vi na televisão. Nunca joguei contra ele, mas conheço seus pontos fortes: ótimas finalizações, a dinâmica de jogo, mas também sei o que é necessário para passar por ele.”, garantiu.

A Suíça está invicta há nove jogos, sete deles disputados em 2018. Na Copa do Mundo da Rússia, estreou com um empate por 1×1 diante do Brasil, venceu a Sérvia por 2×1, de virada, e voltou a empatar na terceira rodada, quando enfrentou a Costa Rica. A equipe terminou sua participação na primeira fase como segunda colocada do Grupo E, com cinco pontos.

RETROSPECTO DE SUÉCIA X SUÍÇA
O histórico de confrontos entre Suécia e Suíça é extremamente equilibrado, com cinco vitórias para cada lado e três empates. As equipes, no entanto, já não se enfrentam há bastante tempo, desde março de 2002, quando empataram por 1×1 em amistoso disputado no país nórdico. Em jogos oficiais, a Suécia levou a melhor nas Eliminatórias para a Eurocopa de 1988, com uma vitória em casa por 2×0 e um empate fora por 1×1. Os suíços deram o troco deixando os rivais de fora da edição de 1996 com uma goleada por 4×2 e um empate em 0x0.

Últimos jogos
26/03/2002 – Suécia 1×1 Suíça

25/04/2001 – Suíça 0x2 Suécia

06/09/1995 – Suécia 0x0 Suíça

12/10/1994 – Suíça 4×2 Suécia

10/08/1993 – Suécia 1×2 Suíça

PROVÁVEIS ESCALAÇÕES
Suécia: Olsen; Lustig, Lindelöf, Granqvist e Augustinsson; Larsson, Ekdal, Claesson e Forsberg; Berg e Toivonen. Técnico: Jan Andersson.

Suíça: Sommer; Lichtsteiner, Schär, Akanji e Ricardo Rodríguez; Behrami, Xhaka, Shaqiri, Dzemaili e Embolo; Gavranovic. Técnico: Vladimir Petković.

Comentários