Branco destaca elenco regional do Campos e promete foco na reta final

Após a decisão emocionante nos pênaltis, o técnico Branco foi "homenageado" pelos atletas e ganhou um belo banho de água gelada no centro do gramado do Ângelo de Carvalho. Com a cabeça fresca, literalmente, o comandante do Campos não poupou elogios aos seus atletas.

O treinador relembrou o início da trajetória, no início da apresentação do elenco, no qual muitos atletas foram pedir oportunidade para atuar e neste 5 de agosto, tiveram a sua promessa cumprida, de acordo com o treinador.

- Vivemos um momento maravilhoso. Quem vive o dia a dia, quem viu a história, quem esteve aqui no dia da apresentação, o semblante desses jogadores. Eles pediram oportunidade. O clube não foi atrás deles. Eles vieram aqui e pediram e na promessa de que daria a toda essa torcida, esse feito de hoje. A promessa deles foi cumprida.

O futebol na cidade de Campos vive um grande momento, com o Goytacaz na Série A, o Americano liderando a Série B1 e campeão da Taça Santos Dumont e, agora, com o Campos campeão na B2. Branco destacou que parte do sucesso de sua equipe é por ter praticamente todos os atletas nascidos na região norte do estado, causando uma identificação ainda maior com o Roxinho.

- Quem me conhece desde a época que eu jogava. Trabalhei nas equipes de Campos, sempre frisei que temos que ter rivalidade sim entre nós, mas por cima, nivelado por cima e não por baixo. Nunca me preocupei de olhar o meu trabalho e saber que estou no fundo do poço e carregar alguém comigo. Eu prefiro que eles vão tudo embora e que me puxem. Estou muito feliz que o Goytacaz está vivendo esse momento único, que o Americano está chegando lá. Em Campos sempre foi isso. Eu joguei 17 anos fora do país. Na Europa, na Ásia, nos quatro cantos do mundo. Todos os brasileiros que eu encontrava la, eles falavam : "Campos é celeiro de craques". Se parar para ver, nós temos um time completamente regional, com excessão do DG, que é do Rio de Janeiro. São jogadores que pediram oportunidade e Deus ajuda quem trabalha.

Sem relaxamento
De olho no segundo turno da Série B2 do Campeonato Carioca, Branco afirmou que sua equipe não vai relaxar na disputa. Conhecedor do regulamento da competição, o treinador afirmou que o Campos ainda não tem nada, lembrando que a vantagem no quadrangular final é somente para o maior pontuador da competição e não para o campeão dos turnos.

- Simples. Sabemos que a principal vantagem é para o time que fizer mais pontos. Nós vamos atrás disso também. A gente não tem nada. Não tem relaxamento. Na pior das hipóteses, se todo nosso planejamento falhar, já estamos no quadrangular, mas nós vamos atrás dessa vantagem. Ser o campeão não nos da essa vantagem.E que Papai do Céu continue nos abençoando, porque trabalhando, nós estamos e muito.

Fonte: FutRio