Equipe de basquete do Paraesporte embarca para a Liga nas Olimpíadas Especiais

Doze atletas de basquete do Projeto Paraesporte, da Fundação Municipal de Esportes, participam neste sábado (11), na Vila Olímpica de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, da primeira rodada da Liga de Basquete Unificado das Olimpíadas Especiais.  O evento vai reunir ainda atletas da Favo de Mel, Fundec, Apabb e Abajac Jacarepaguá. A abertura está marcada para às 9h. A liga ainda tem mais três etapas: 22 de setembro, 20 de outubro e a final em 17 de novembro. 

Nesta reta final, a equipe de Campos intensificou ritmo para a estreia na competição. Os treinos acontecem as terças e quintas na quadra da Associação dos Viajantes do Estado do Rio de Janeiro (Averj). Heverton Ribeiro de Carvalho, 23 anos, está ansioso para participar da competição. Ele integra a equipe de basquete e também futsal. Já Jean Vitor Rangel Augusto terá a oportunidade de participar da primeira competição pelo basquete. “Eu gosto muito do basquete e aqui fiz novos amigos, onde passo boa parte do meu dia na Fundação de Esportes”, destacou o rapaz que também é atleta das equipes de vôlei de praia e futsal. 
O estagiário José Augusto Alves Batista Júnior, 21 anos, que atua no Projeto Paraesporte vai acompanhar a equipe, na competição, em Duque de Caxias, como atleta parceiro. “Para mim é mais uma experiência que vou ter na vida profissional e ainda no basquete, a modalidade esportiva que mais gosto de atuar. Ao longo desse período, que estou estagiando na FME, tive outras oportunidades de ser atleta parceiro, como no futsal, bocha e vôlei”, destacou José Augusto.

Coordenador do Projeto Paraesporte, Fábio Coboski, destaca a importância dos parceiros no desenvolvimento e rendimento dos atletas com deficiência. 
— Olhamos para trás e vemos como os nossos atletas adquiriram autonomia ao longo desses 16 meses de implantação do Projeto Paraesporte. Atualmente, atendemos a mais de 900 pessoas e os atletas parceiros são imprescindíveis neste processo. O José Augusto é um dos primeiros estagiários do Paraesporte e vem destacando pelo seu profissionalismo e dedicação com os atletas e familiares. Nesta semana, ele recebeu o certificado do IseCensa como o melhor Coeficiente de Rendimento (CR), entre os formandos de bacharelado do curso de Educação Física. Isso demonstra o nível de comprometimento dos nossos colaboradores — disse Coboski. 

Desde a criação do Paraesporte, em 2017, os atletas das mais variadas modalidades já participaram de cerca de 20 competições. As equipes de futsal e vôlei de praia estão classificadas para os Jogos Mundiais das Olimpíadas Especiais, em março de 2019, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

Comentários