Rio das Ostras mantém Grupo de Apoio ao Emagrecimento

Descrição da foto
A obesidade é um grave problema de saúde pública no Brasil, contribuindo para o desenvolvimento de doenças crônicas, como a diabetes e hipertensão, por exemplo. Em Rio das Ostras, a Administração Pública mantém um projeto que visa diminuir os índices de pessoas que convivem com a obesidade. O Grupo de Apoio ao Emagrecimento – Gae, que funciona no Centro de Saúde de Nova Cidade, é ligado à Área Técnica de Nutrição (Atan) da Secretaria de Saúde. O Grupo reúne pacientes que precisam de apoio além do atendimento ambulatorial.

“O objetivo do Gae é oferecer ferramentas aos pacientes para que consigam manter uma vida mais saudável por meio da alimentação e dos exercícios físicos. A gente fala sobre os valores nutricionais de cada alimento, promove oficinas de receitas mais saudáveis, aborda temas importantes para uma vida melhor, entre outras ações”,contou Daniele Alves, nutricionista do Gae.
Descrição da foto
Frequentadora do Grupo de Apoio ao Emagrecimento há pouco mais de três meses, Nilda Cavalcanti disse que o Gae foi um divisor de águas em sua vida. “Eu ficava em casa meio deprimida, sem vontade de nada, comendo mal e só engordava. Aqui eu fui tão bem acolhida que fui me motivando a investir na qualidade da minha vida. Hoje eu amo viver e foi aqui no Grupo que me reencontrei”, relatou.

O Gae reúne equipe multiprofissional, com psicólogo, nutricionista e educador físico, tendo como suporte o atendimento médico de endocrinologista e cardiologista. A rotina do rotina inclui rodas de conversa, orientações técnicas da equipe de saúde, além do agendamento de exames e consultas ambulatoriais.

De família de diabéticos, Valéria Gabino relata que, se não fosse o grupo, provavelmente já teria desenvolvido a doença. “Se sou persistente com minha dieta e minhas caminhadas diárias é porque a equipe do Gae me auxilia muito com todas as informações possíveis para que eu leve uma vida mais saudável. Participo há muitos anos aqui do grupo e hoje tenho 53 anos e não desenvolvi a diabetes”, contou.

Comentários