Rita Fonseca retorna às competições de natação e quer Campeonato Brasileiro

Quebrar recordes e colecionar vitórias nunca foi algo estranho para a nadadora Rita Fonseca, desde os tempos em que competia nas décadas de 1980/90. Após quase 30 anos longe das piscinas, a atleta da Equipe Reis, do Tênis Clube de Campos/Botafogo, com apoio da Folha da Manhã, está de volta às disputas oficiais. E acaba de trazer do Rio seis medalhas conquistadas no Campeonato Estadual de Inverno Master, dias 21 e 22, no Parque Aquático do Vasco da Gama, além de bater o recorde estadual nos 50m livre.

— Decidi voltar após uma lesão nos joelhos que me impediu de continuar correndo. Voltei nadando duas vezes por semana, mas voltar a competir foi por incentivo do técnico Luciano Reis, além da atleta e auxiliar técnica Tamires Pereira após um revezamento num evento dos Bombeiros. Então, eles me incentivaram a disputar esta competição no Vasco. Voltar às piscinas me fez reviver uma fase maravilhosa de minha vida — disse Rita.

A nadadora começou aos quatro anos na AABB, passou pela AVERJ e começou a competir aos 12 anos quando foi para o Campos Atlético. Aos 14, foi para o Americano e depois na AABB, onde, além de nadadora, foi também auxiliar técnica.

— Agora que gostei da “brincadeira”, é treinar para disputar o Campeonato Brasileiro, a ser disputado em Belo Horizonte, no mês de novembro. A meta é quebrar o recorde brasileiro nos 50m livre — projetou.

A família tem o esporte no sangue. Seu marido, Aníbal Wagner, também professor, que na década de 80 foi técnico de vôlei da extinta Supergasbras, hoje ocupa a coordenação da Federação Estadual de Vôlei Estado do Rio de Janeiro, além de supervisor da seleção estadual que acaba de se tornar campeã brasileira de seleções sub-17, na competição disputada em São Sebastião do Paraíso, no último dia 22.

O levantador Luan, de 18 anos, filho do casal, joga no Botafogo e está na seleção brasileira de vôlei sub-21.

Fonte: Folha da Manhã

Comentários