Americano em busca de novos parceiros para próxima temporada


Boas novidades não faltam para a torcida do Americano que aproveita a sua grande fase nos gramados para marcar outros gols também fora de campo. Em Campos, o clube fez nesta quinta-feira (27) o lançamento do projeto “Descobrindo Talentos, Formando Cidadãos”, na sede da Firjan, visando à captação de recursos da ordem de R$ 3,4 milhões da Lei de Incentivo ao Esporte. No Rio, a Federação anunciou que a finalíssima da Copa Rio, entre o Alvinegro e o Itaboraí, será em Cardoso Moreira, no dia 6 de outubro. O primeiro jogo será no Alziro de Almeida, dia 3 de outubro.

Clube lançou projeto Clube lançou projeto / Rodrigo Silveira No evento realizado na Firjan, o clube anunciou o projeto com seus novos ajustes numa coletiva com as presenças do presidente Carlos Abreu; do coordenador de Gestão da Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério dos Esportes, Kellyson Salgado Gomes; e do engenheiro Júlio Manhães, torcedor alvinegro, que elaborou o projeto, no qual foram acrescentadas algumas ações que visam consolidar a imagem do Americano como um clube cidadão.

Depois da coletiva, os benefícios da Lei de Incentivos Fiscais e as ações do clube na área social foram mostrados num seminário com a presença de empresários.

— O nosso clube hoje está inserido numa área carente, de elevada vulnerabilidade social. Todos os dias a gente abre o jornal e vê as mazelas do tráfico. Precisamos virar esse jogo, oferecendo oportunidades a esses jovens para reverter esse cenário. Estamos ganhando os jogos dentro de campo, estamos perdendo o jogo fora de campo. Como clube cidadão, o Americano se preocupa em mudar esta realidade — afirmou Carlos Abreu.

Entre as ações, o clube aposta na inserção dos jovens em ações que vão além do esporte.
— No futebol, nem sempre todos que estão em nossas categorias de base serão profissionais. Mas se não for atleta, vai ser um bom cidadão, com a formação que irá receber com a parte educacional que irá acompanhar este projeto, com as palestras e a participação dos pais. Num primeiro ano, serão 200 crianças; num segundo mais 200 — disse Abreu.

Na busca de conscientização do empresário
Na temática do seminário, o representante do Ministério dos Esportes tratou de explicar a Lei, desde o roteiro da captação de recursos à prestação de contas. O diretor de projetos do clube, Vítor Rangel, falou sobre as oportunidades da valorização das empresas e os benefícios sociais do projeto. Outro que participou do seminário foi o presidente da Fundação Municipal de Esportes (FME), Raphael Thuin.

— Vamos sair das palavras às ações, buscando conscientizar o empresário sobre o que representa a visibilidade em participar de projetos que associam a imagem de sua empresa às boas práticas que visam transformar a realidade em que vivemos — disse ainda Carlos Abreu.

— É preciso que o empresário e a sociedade tenha conhecimento da lei e do que está sendo feito no Americano como um clube cidadão — disse.

Além do futebol, o Americano investe em outros esportes como o atletismo, vôlei, basquete cadeirante e artes marciais.

A Lei de Incentivo ao Esporte permite que empresas e pessoas físicas invistam parte do que pagariam de Imposto de Renda em projetos aprovados pelo Ministério. O projeto do Alvinegro foi aprovado em 2017.

Fonte: Folha da Manhã

Comentários