Após dez anos no Brasileirão, Macaé terá apenas competições estaduais em 2019

image
Foram dez anos seguidos. Uma década onde o Macaé teve de se incluir no grupo dos principais times do cenário nacional. Porém, depois da eliminação para o Audax na Copa Rio na última quarta-feira (5), o Alvianil Praiano vai deixar de disputar Campeonatos Brasileiros depois de dez temporadas. No ano que vem, o Leão do Norte Fluminense só vai jogar competições estaduais.

Desde quando ingressou no cenário nacional, o Macaé, na maioria das vezes, brigou na parte de cima da tabela. Porém, depois que chegou à Série B do Campeonato Brasileiro, em 2015, quando o Avianil Praiano tentava se consolidar na segunda divisão, o rebaixamento foi um duro golpe no Leão do Norte Fluminense, que passou a viver momentos tristes e de luta para fugir da parte de baixo da tabela nas competições.

Início ruim na Série C e vice-campeonato na primeira Série D
Coincidiu que o surimento do Macaé no cenário estadual culminou na chegada dele ao Campeonato Brasileiro. O Leão do Norte Fluminense disputou o Carioca da Série A pela primeira vez em 2008 e a oitava colocação lhe rendeu uma vaga na terceira divisão do Brasileirão, já que na época não existia ainda a Série D. O Alvianil Praiano não passou da primeira fase.

No ano seguinte foi criada a Série D do Campeonato Brasileiro e como acabou em quinto no Carioca, o Macaé conquistou uma vaga na competição nacional. E o Alvianil Praiano só parou na final. A equipe se classificou em primeiro no seu grupo, passou pelo Paulista (SP) nas oitavas-de-final, deixou pra trás o Tupi (MG) nas quartas e conseguiu o acesso. Na semifinal, derrotou a Chapecoense (SC) e acabou com o vice-campeonato, ao perder a final para o São Raimundo (PA).

Boas campanhas na Série C, mas acesso bate na trave
Quando voltou a Série C, em 2010, a competição tinha um regulamento de quatro grupos com cinco times cada. O Macaé fez uma boa campanha, mas não conseguiu o acesso. Após se classificar em segundo no seu grupo, o Alvianil Praiano enfrentou o Criciúma (SC) nas quartas-de-final, venceu o primeiro jogo por 3 a 2, mas perdeu a partida de volta por 2 a 0 e foi eliminado. No ano seguinte, o Leão do Norte Fluminense lutou contra o rebaixamento e só se livrou da queda na última rodada, após conquistar uma vitória inesquecível, por 6 a 4 com direito a quatro viradas, contra o Marília (SP), fora de casa.

image

Em 2012, o regulamento mudou para o que está em vigor até hoje: dois grupos com dez times cada. E por dois anos o Macaé fez a melhor campanha na primeira fase. Na temporada 2011, o Alvianil Praiano perdeu o acesso para o Paysandu (PA). O time foi derrotado no primeiro jogo por 2 a 0 e venceu o segundo por 3 a 2. No ano seguinte, o algoz foi o Sampaio Corrêa. Derrota por 5 a 3 na ida e empate por 1 a 1 na volta.

Tão sonhado acesso finalmente acontece
O aguardado e sonhado acesso veio finalmente em 2014. Porém, desta vez o Macaé não foi primeiro colocado em seu grupo e sim o quarto, com a classificação chegando apenas na última rodada. O adversário era o Fortaleza (CE), que já vinha sendo eliminado nas quartas-de-final há alguns anos. Na partida de ida, 0 a 0. No jogo de volta, em um Castelão com 60 mil torcedores jogando contra, o Alvianil Praiano fez 1 a 0 no fim do primeiro tempo. O Tricolor de Aço empatou na segunda etapa, mas o Leão do Norte Fluminense justificou o apelido, foi forte e segurou o 1 a 1 que lhe rendeu o acesso.

Com o acesso já garantido, o Macaé foi em busca do título. Na semifinal, o Alvianil Praiano derrotou o CRB (AL) por 4 a 0 na partida de ida e garantiu a vaga na final com um 0 a 0. Na final, o Leão do Norte Fluminense empatou o primeiro jogo por 1 a 1 contra o Paysandu (PA) e assim como foi no jogo do acesso, teve que jogar contra um estádio lotado, com um Mangueirão com mais de 35 mil pessoas. Entretanto mais uma vez o apelido de Leão foi justificado e o empate por 3 a 3 deu o título ao clube.

image

Série B dos sonhos vira pesadelo
Na tão sonhada Série B, o Macaé começou muito bem. Nas primeiras seis rodadas, foram quatro vitórias, um empate e uma derrota, com a equipe chegando a liderar a competição. O Alvianil Praiano se manteve na zona de acesso por dez rodadas, mas depois começou o calvário do Leão do Norte Fluminense. Em dois jejuns, onde ficou nove partidas seguidas sem vitórias, a equipe entrou na zona de rebaixamento.

Na antepenúltima rodada, a esperança de fugir do rebaixamento aumentou consideravelmente. O Leão do Norte Fluminense conseguiu um triunfo heroico contra o Atlético (GO), em pleno Serra Dourada, por 4 a 3, e ficou a uma vitória de se livrar do acesso. Porém, jogando em casa, contra o já rebaixado Boa Esporte (MG), o Macaé não conseguiu sair do 0 a 0 e foi pra última rodada em uma verdadeira final contra o Ceará, que também lutava contra o descenso.

image

Depois de um ano de seu acesso, o Macaé mais uma vez enfrentou um Castelão lotado, dessa vez por alvinegros, que levaram mais de 45 mil pessoas ao estádio. Um empate deixava o Alvianil Praiano na segunda divisão. Mas Rafael Costa marcou aos 44 minutos do primeiro tempo, Éverson, até hoje no Vozão, segurou tudo lá atrás e o Leão do Norte Fluminense acabou rebaixado, voltando para a Série C.

Retorno à Série C, queda em dois anos e eliminação na Série D
No retorno para a Série C, o Macaé não mostrou a força que teve nas vezes anteriores. Em 2016, o Alvianil Praiano lutou contra o rebaixamento até a última rodada, mas conseguiu fugir da queda. Mas no ano passado a sorte não foi a mesma. Nas duas últimas rodadas, o Leão do Norte Fluminense precisava de uma vitória para se livrar da degola novamente. Mas uma derrota por 3 a 0, para o já rebaixado Mogi Mirim (SP), e um empate contra o Tombense (MG), fez o maior pesadelo se tornar realidade e o clube foi rebaixado para a Série D.

Na Série D do Campeonato Brasileiro este ano, o Macaé fez uma boa campanha na primeira fase, se classificou em primeiro do seu grupo e foi o único carioca a avançar. Porém, na segunda fase, duas derrotas para o Novorizontino (SP), por 2 a 1 e 1 a 0, eliminaram a equipe. O sonho de seguir disputando o Campeonato Brasileiro só seria possível com o título da Copa Rio, mas a eliminação para o Audax acabou com as esperanças.

image

Agora o Macaé foca no Campeonato Carioca, onde terá que disputar novamente a Seletiva, já que este ano, terminou na nona colocação, mas por ter escalado um jogador de maneira irregular, perdeu pontos e caiu para a última colocação.

Fonte: FutRio