Atletas macaenses são destaques em competição de karatê

Mesmo em meio a falta de patrocínio, pouco a pouco os atletas vão se consagrando campeões na cidade. Entre as diversas modalidades está o karatê. Em Macaé, a Escola Michi vem se tornando referência e contribuindo cada vez mais com a formação de novos atletas.

E mais uma vez a equipe Karatemichi fez bonito em campeonato e conquistou novas medalhas. Recentemente, os atletas marcaram presença durante a 3ª etapa do Circuito Fluminense: Kumite e Kata. O evento esportivo, promovido pela Liga Independente de Karatê Esportivo Rio de Janeiro (LIKERJ), aconteceu no Rio de Janeiro.

No feminino, Sandryane Glicério manteve a invencibilidade (ela foi campeã nas duas etapas anteriores) e conquistou o ouro em Kata e Kumite na categoria 45kg – Faixa-Roxa a Faixa-Preta.

Já no masculino, o karateca Vitor Moreira de Melo foi primeiro lugar em Kata e quarto lugar em Kumite na categoria oito a 10 anos – 35kg – Faixa-Verde a Faixa-Preta.

“O karatê é de fundamental importância na vida das crianças, além de trabalhar a coordenação motora, flexibilidade, postura, ansiedade, também ensina o respeito um pelo outro”, enfatizou o professor Adenilson Aprígio, que é coordenador da equipe.

O próximo campeonato previsto será a Copa Brasil de Karatê Seigokan no dia 29 de setembro, em Niterói (RJ).

Aprígio explica ainda que, quem pratica karatê não se aperfeiçoa para luta, mas luta para se aperfeiçoar. Interessados em aprender as técnicas e se tornar um karateca podem entrar em contato com ele pelo telefone: (22) 99767-8557. A instituição também aceita apoio para o projeto.

A Michi é uma escola preparatória que oferece aulas para todas as idades. Apesar de ser uma arte milenar, arte da mão vazia, a origem do karatê remonta de milhares de anos.

“Como é conhecida hoje em dia, a arte marcial foi exportada para OKINAWA e mistura as técnicas de luta das ilhas nipônicas. O senhor de okinawa antiga, e mais tarde, o chefe feudal de kagoshima, baniram o uso de armas, nascendo daí o desenvolvimento da luta da mão vazia e as técnicas de autodefesa. Esta arte marcial, de acordo com sua origem chinesa, foi batizada como karatê. Já o mestre moderno desta arte, Gighin Funakoshi morreu em 1957, com 88 anos. Para ele, o karatê era não só uma arte marcial, mas também uma maneira de construir o caráter”, explicou.