Cerca de 3 mil alunos participam dos Jogos Estudantis de Campos

Após dez anos paralisados, os Jogos Estudantis de Campos (Jecs) foram retomados, no ano passado. Depois do sucesso da edição de 2017, o número de participantes dobrou e quase 3 mil alunos encheram o ginásio do Centro Educacional Nossa Senhora Auxiliadora (Censa), na noite desta sexta-feira (31). Neste sábado (1º), acontece no ginásio do Instituto Federal Fluminense (IFF), a primeira rodada com quatros jogos de Futsal sub-17 e dois de Handebol.  Os jogos serão realizados até o dia 29 deste mês.

Com a organização da Fundação Municipal de Esportes (FME) e da Secretaria municipal de Educação, Cultura e Esporte (Semec), os JECs-2018 reúnem estudantes de 55 unidades de ensino das redes particular, federal estadual e municipal. 
— Resgatar os Jecs é uma medida também educativa, pois faz com que as escolas se integrem e que os nossos alunos tenham uma complementação sobre a formação dentro de sala de aula. Hoje é um dia que comemoramos o trabalho que vem sendo traçado desde o começo da gestão do prefeito Rafael Diniz — destacou o secretário da Smece, Brand Arenari. 
Alunos e representantes das Escolas Municipais demonstraram muito entusiasmo em estar participando desta edição dos Jogos Estudantis. Uma aluna de 15 anos, da Escola Municipal Custódio Siqueira, foi destaque no Futsal feminino sub-15. Título que, além de elevar a estima da atleta, ainda estimulou os demais estudantes a competir. 
— Esporte é formação para a vida. Trabalha valores que o competidor usa para a vida toda, como respeito, hierarquia, trabalho em equipe, e o aprendizado maior: lutar pelos objetivos — frisou o professor de Educação Física da E.M. Custódio Siqueira, Diogo Campista.  

O Centro Educacional 29 de Maio, uma das escolas mais tradicionais do município, coleciona troféus em eventos esportivos. “Jogos Estudantis, principalmente os que reúnem estudantes de várias instituições, são muito importantes no que tange à construção do ser humano”, afirmou a diretora da unidade, Adriana Matos.  

Comentários