Chegou a hora! Neste sábado conheceremos o campeão da Segundona do Rio 2018


O atacante Maikon Aquino fez um convite ao torcedor do Americano para a final da Série B1 do Campeonato Carioca neste sábado (29/09). O jogador espera que a torcida invada o Nilton Santos no jogo contra o America, às 13h10. O camisa 7 lembrou que o palco na Zona Norte da Cidade do Rio de Janeiro, pertencente ao Botafogo, já é alvinegro, o que daria uma ambientação ainda maior para os torcedores do Glorioso - outro apelido compartilhado com o time carioca.

- Espero que a torcida alvinegra possa comparecer no Engenhão, já é preto e branco, minha ex-casa. Quatro anos depois poder voltar lá e fazer uma final, vai ser um momento especial para mim. Espero que a torcida comparece em peso como foi compareceu em Bangu. Vai ser uma grande partida e se Deus quiser vamos sair com título.

Maikon Aquino passou pelo Botafogo na temporada de 2014, mas não tem boas lembranças. Atuou apenas em duas oportunidades, na reta final do Brasileirão daquele ano, quando o time foi rebaixado. O atacante, inclusive, esteve no jogo da queda, contra o Santos. O outro duelo que fez foi na rodada seguinte, a 38ª, contra o Atlético (MG).
Sobre o confronto com o America, Aquino tem boas recordações. Foi decisivo no jogo da fase de grupos, disputado no Giulite Coutinho. O Cano venceu por 3 a 1 e Aquino marcou dois gols naquela oportunidade. O camisa 7 quer evitar que cresça um sentimento de revanche no clássico Tio Sam deste sábado, que começa às 13h10.

- Só o horário que fiquei assutado, mas fazer o que? Sabemos que vai ser um jogo muito difícil. Eles perderam esse jogo anterior, fica aquele clima de não poder perder de novo, um clássico. Espero que vai ser um grande jogo. Aqueles que puderem ver, vai ser uma boa final. Espero fazer uma grande apresentação e conquistar o título, que é o mais importante - disse o jogador.

Sem certeza de permanência, jogador adota discurso parecido com o de Maradona
O Americano luta para ter a dupla "Maraquino" para a próxima temporada. Os atacante goleadores adotaram, porém, um discurso parecido, tendo um tom de despedida. Os jogadores têm a carreira gerenciada pela mesma empresa. Aquino, independente do destino, reforça que seu objetivo no clube foi atingido, independente do futuro: deixou o Alvinegro na Primeira Divisão do Rio de Janeiro.

- Essa parte não me convêm. Porque tem todo o meu staff por trás, tanto o meu quanto o do Maradona, que somos da mesma empresa. Estou muito feliz aqui no Americano, mas eu fiz o meu papel ajudando a equipe, junto com o grupo, conquistamos os objetivos. Estou muito feliz, não sei o que vai ser daqui para frente. Tem muita coisa para acontecer. Mas eu creio que o que acontecer será muito bom. Ficando ou não, fizemos algo muito bom para o clube, deixando ele no lugar que nunca deveria ter saído - comentou.
AMERICA
O lateral-direito Wesley revelou o clima familiar existente no America nesta temporada e afirmou que isso será o diferencial da equipe para a decisão contra o Americano, neste sábado (29). O confronto acontece no Nilton Santos, como preliminar da partida do Fluminense pelo Brasileirão. O camisa 2 do time promete o dobra da entrega para o confronto contra o Cano que pode dar o terceiro título da Série B1 para o time Rubro.

- Costumamos brincar aqui no America, entre nós jogadores, que temos uma família. Criamos um grupo de trabalho sensacional, com um incentivando o outro. Isso sem dúvidas ajudou e foi importante nessa campanha. Não temos vaidade. Nosso pensamento é de colocar o America no lugar que ele merece. É manter essa união e dobrar a atitude pra decisão. Sabemos da dificuldade que encontraremos diante do Americano, mas estamos preparados - prometeu o jogador.

A temporada foi muito positiva para o jogador de 23 anos de idade. Ele atuou em 19 oportunidades na temporada, sendo 17 em partidas da Série B1 do Carioca. Com o objetivo principal de 2018 conquistado, o acesso à elite do Rio de Janeiro, Wesley avaliou o ano de maneira individual.

- Tive uma temporada muito regular aqui no América. Joguei praticamente todas as partidas e tive uma regularidade muito boa. Pude mostrar meu futebol e consequentemente ajudar o América na campanha. Agradecer meus companheiros também que me apoiaram pra que conseguisse render o meu melhor dentro de campo. Pensamento agora é finalizar esse ano de 2018 da melhora maneira: com o título da B1 - disse, ainda comentando do acesso.

- Esse acesso tem uma importância enorme pra clube e também pra minha carreira. É a minha afirmação aqui no futebol carioca e o América não pode ficar disputando a Série B1 do Rio de Janeiro. Agora é trabalhar pra conquistar o título e subir pra seletiva da melhor maneira possível. Muito feliz pelas minhas atuações e por conseguir recolocar o América lá em cima - encerrou.

FINAL ESTADUAL B1
Americano x America
Árbitro: Paulo Renato Moreira
Assistentes: Wallace Barros Santos e Rafael Gomes Rosa
4º Árbitro: Yuri Elino
5º Árbitro: Rafael Sepeda de Souza
Técnico: Claudio José de Oliveira Soares