Em ritmo de pelada, Brasil atropela frágil El Salvador em Washington

As experiências prometidas por Tite aconteceram, e a vitória brasileira diante de El Salvador, no Fedex Field, em Washington, veio como esperada, por 5 a 0. A fragilidade do adversário da noite desta terça, entretanto, foi colossal, e pode dificultar uma análise mais objetiva do desempenho dos novatos testados. O jogo transcorreu inteiro em ritmo de pelada, sem nenhuma resistência por parte dos salvadorenhos.

Neymar brilhou, marcou um gol de pênalti e criou a jogada de outros dois. Richarlison, um dos estreantes, deixou sua marca duas vezes. Coutinho e Marrquinhos completaram a goleada. O ritmo, porém, foi tão casual que o próprio camisa 9, titular com a camisa da seleção pela primeira vez, pouco comemorou ao balançar as redes no segundo gol.
A goleada fecha o início de ciclo do Brasil, que devolve após a partida os jogadores a seus clubes. Dois deles, Dedé e Paquetá, tem compromissos importantes nesta quarta (11), pelas semifinais da Copa do Brasil. A seleção volta a se reunir em outubro, quando terá amistosos contra a Arábia Saudita, e um adversário de maior dificuldade, a Argentina.

Dupla Neymar-Richarlison brilha com pênalti e golaço
A fragilidade do adversário ficou evidente tão logo a bola rolou. Com menos de 2 minutos, Richarlison foi lançado por Neymar dentro da área, tentou o drible sobre Domínguez e acabou indo ao chão. A arbitragem assinalou um pênalti duvidoso. Ignorando as dúvidas, o camisa 10 do Brasil e do Paris Saint-Germain cobrou para balançar a rede e abrir o placar.
E Richarlison voltou a brilhar na sequência para fazer 2 a 0. Aos 15min, o atacante recebeu novamente de Neymar pela direita e bateu com categoria no ângulo de Hernández para ampliar o placar com um golaço.

Antes da marca dos 30, Neymar fez nova jogada pela esquerda e serviu Coutinho, que bateu no canto direito de Hernandez. O goleiro sequer conseguiu pular na bola: 3 a 0 e vitória encaminhada antes do intervalo.
"Dança do Pombo" some
Na volta do vestiário, mais fragilidade. E novo gol. Novamente de Richarlison, o destaque no ataque brasileiro. O atacante do Everton (Inglaterra) aproveitou uma bola repatida na área e chutou forte no canto do goleiro para fazer 4 a 0. O jogo se desenhava tão desinteressante que até a aguardada "dança do pombo", comemoração característica do jogador que foi realizada no primeiro tempo, não saiu desta vez.

Tite mexe, mas reservas não marcam
O restante da segunda etapa continuou com controle absoluto do Brasil. Tite fez mudanças, colocando em campo Paquetá, Everton, Willian, Andreas Pereira, Fred e Felipe. A seleção continuou ocupando o campo de ataque, mas os gols não saíram pelos pés do reserva. Willian teve chance clara, mas bateu em cima de Hernandez. O goleiro salvadorenho fez uma boa defesa, se atirando na bola para evitar um gol de Everton. Coube ao zagueiro Marquinhos fechar a goleada, aos 44 minutos do segundo tempo.
Gramado do Fedex Field deixa a desejar
Ao contrário do que ocorreu na sexta-feira, no Metlife Stadium, em Nova Jersey, o gramado do Fedez Field estava longe das condições ideais. Havia longas faixas em péssimas condições nas duas laterais, e era perceptível um leve quique na bola a cada passe rasteiro. Também havia pontos "carecas" dentro das áreas e na faixa central.

Torcida de El Salvador faz mais barulho e grita olé mesmo na derrota
A torcida de El Salvador fez bem mais barulho do que a brasileira no Fedex Field. Animados, os salvadorenhos não se abateram ao ver sua seleção ser desmantelada pela brasileira, e chegou até a gritar olé quando a partida estava 1 a 0 para o Brasil.
El Salvador erra até lateral e arranca risadas dos próprios torcedores
Uma jogada no segundo tempo simbolizou a fragilidade da seleção de El Salvador. Ao tentar lançar um lateral, Tamacas errou completamente a cobrança, e jogou a bola para cima. Ela caiu a cerca de um metro do salvadorenho, que ainda correu em sua direção. O erro arrancou risada de torcedores da própria seleção no Fedex Field.

BRASIL 5 x 0 EL SALVADOR
Data: 11 de setembro de 2018 (terça-feira)
Local: Estádio Fedex Field, em Washington (EUA)
Árbitro: Jair Marrufo (EUA)
Auxiliares: Corey Rockweel e Corey Parker (ambos dos EUA)
Cartões amarelos: Neymar e Felipe (BRA); Alfaro e Orellana (ELS)
Gols: Neymar, aos 3, Philippe Coutinho, aos 29 do primeiro tempo, Marquinhos, aos 45 minutos do segundo tempo, Richarlison, aos 15 do primeiro tempo e aos 5 do segundo tempo

Brasil
Neto; Éder Militão, Dedé (Felipe), Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro (Fred), Arthur (Andreas Pereira), Douglas Costa (Willian), Philippe Coutinho (Everton) e Neymar; Richarlison (Lucas Paquetá)
Técnico: Tite

El Salvador
Hernández; Tamacas, Mendoza, Domínguez e Barahona; Alfaro (Orellana), Delgado, Flores (Ibsen Castro), Baires (Álvarez) e Alás (Dustin Corea); Pineda
Técnico: Carlos de Los Cobos