Léo Costa participa da Liga de Desenvolvimento como orientador

A oitava edição do Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB) começou no último dia 10, no Rio de Janeiro, com 11 equipes participantes. E apesar de o Macaé Basquete não estar com o seu time em quadra na maior competição de base da modalidade no Brasil, a instituição está devidamente representada nesta edição. Isso porque o técnico Léo Costa está atuando como orientador técnico na etapa de Curitiba da competição, que acontece até o dia 20.

O objetivo é a troca de experiências com técnicos e comissões que lidam com jovens e que, muitas vezes são jovens também na função de comando que exercem. Léo Costa está avaliando os jogos (equipes e atuação dos treinadores), trocando informações com os treinadores e suas comissões técnicas, orientando e dando sugestões quando necessário. Além disso, o treinador do Macaé Basquete ministrará uma clínica para treinadores e assistentes técnicos sobre um tema escolhido por eles:

“É uma grande troca de conhecimento onde todos aprendem. Na última edição da LDB participei de três etapas. Foi uma experiência nova e muito enriquecedora para mim e fiquei muito orgulhoso de ter sido convidado pela Liga novamente”, disse Léo Costa.

Léo Costa faz questão de enfatizar a importância da Liga de Desenvolvimento, já que é uma iniciativa para a formação não só esportiva, mas pessoal dos jovens atletas do basquete brasileiro:

“A LDB exerce um papel muito importante na formação, pois, muitas vezes, ao sair da categoria juvenil, um atleta ainda não está preparado para ingressar de forma efetiva na equipe adulta. A LDB ajuda muito nessa transição das categorias de base para as equipes profissionais”, explica.

Mas, apesar da importância da Liga de Desenvolvimento, o técnico do Macaé Basquete acredita que ainda há pontos a evoluir para a formação das gerações futuras do basquete nacional:

“O trabalho de base no Brasil vem evoluindo, mas ainda de forma acanhada. Precisamos aumentar o número de clubes que participam das competições, criar incentivos que diminuam os custos para que mais equipes se motivem a participar. Além disso, precisamos entender o verdadeiro foco do trabalho dos treinadores na base, que é a formação de atletas, e não a busca do resultado precoce a qualquer custo. Evoluímos, mas ainda há muito a crescer”, analisa.

O Macaé Basquete participou de duas edições da LDB, nos anos de 2014 e 2015. E o clube vem realizando um trabalho contínuo na base para desenvolver atletas e, quem sabe, voltar a competição nacional: “Além do trabalho em quadra com os treinadores, estamos realizando com os jogadores uma série de testes que vão nos permitir avaliá-los melhor, gerando um banco de dados, para trabalharmos o seu potencial e, quem sabe, revelarmos talentos em um futuro próximo”, finalizou Léo Costa, que também deve participar como orientador técnico na etapa de outubro da LDB, em São Paulo, além de outras nesta edição da competição.