Projeto em Guarus, com crianças e adolescentes usa o futebol como meio de união

O trabalho começou no campo do União de Guarus, as margens da BR 101, com apoio do presidente Zeca do União, que disponibilizou o campo para que crianças e adolescentes de várias comunidades de guarus e de todas as idades, possam através do futebol não entrar no caminho da violência. André Reis Merrinho, de 28, teve essa ideia e já na primeira semana de trabalho eles tiversm bons resultados, e chegara a ir para Macaé, participar de um evento no Moarcizão, onde venceram na categoria até 15 anos.

"O trabalho funcionará as terças e quintas a partir das 14 horas, eu já fui campeão pela Copa Zico e muitos outros torneios fora da cidade" - afirmou Merrinho.
"Estou vendo muitas crianças morrendo ou entrando para criminalidade e ninguém faz nada. Através do futebol podemos entrar em todas as comunidades de Guarus, com total respeito e segurança e são muitos os campos de várzea que podem ser utilizados para que possamos unir boa parte desta galera. Resolvi pedir apoio ao presidente do União, Zeca que prontamente abraçou a idéia" - explica como surgiu a ideia.,
Em apenas duas semanas de trabalho já foram atendidas mais de de 50 crianças e adolescentes. André Merrinho, torcedor do Goytacaz e do Vasco, mora em Guarus e já trabalhou no Goytacaz, onde pôde aprender um pouco de futebol com Totonho, quando este era treinador do clube. 
"Trabalhei ao lado do cooedernador da base do Goytacaz, o Lopes e assim me apaixonei pelo futebol e a maneira a qual os mesmos trabalham. Não via só a qualidade técnica de um atleta, observava também a parte da disciplina e compromissada de cada um que ali trabalhava. Sou tio do Leo Reis que foi atleta do Vasco, pude trabalhar com o Romário Correia."
Merrinho afirma que o trabalho é totalmente gratuito, sem nenhum custo e buscam ajuda de todos que queiram contribuir com este projeto, unindo o sub-distrito Guarus.