Theo Fresia comenta decisão da WSL de igualar premiação de surf para homens e mulheres

A Liga Mundial de Surfe (WSL da sigla em inglês) divulgou na última semana uma grande novidade para o calendário de competições de 2019. A partir do próximo ano, tanto o masculino quanto o feminino vão receber a mesma quantia em premiação. A mudança traz a tona uma grande conquista para as mulheres, que lutam por direitos iguais no mundo e também nos esportes.

Tido como um dos principais destaques da região no surfe, o buziano Theo Fresia se posicionou sobre o assunto. Em contato com a reportagem, o atleta afirmou concordar com a equiparação. “Fiquei feliz com a decisão. Para ir a uma competição elas tem os mesmos gastos que os homens. Pagam as mesmas passagens, hotéis, alimentação. Acho que nada mais certo que ser igualitário”, frisou Theo.

Theo Fresia também foi questionado se a iniciativa da WSL pode ter reflexos em outras entidades e modalidades. “Com certeza. A WSL é uma entidade mundialmente conhecida e eu espero que isso influencie os demais esportes e suas respectivas federações”, afirmou o atleta, revelando também que já presenciou comentários depreciativos em relação as mulheres em competições.


Por fim, o surfista acredita que a medida adotada pela entidade pode influenciar e motivar novas atletas. “Acho que isso serve não só um incentivo para meninas que estão iniciando no surf, mas também para as que pararam devido a falta de um circuito brasileiro profissional feminino. Isso influenciará desde a nova geração, até as que estão voltando para o cenário.

O calendário de 2019 começará a ser disputado em abril, na Gold Coast, Austrália. O encerramento do tour acontecerá no Havaí, em Dezembro.

Comentários