Após fracassos em 2017, Americano celebra conquistas

imgCapa
Torcedores, dirigentes e jogadores do Americano sabem o quanto foi ruim e doloroso o ano de 2017. A eliminação para o maior rival na semifinal e a perda da Copa Rio serviram para uma renovação completa e a volta por cima acabou vindo já em 2018.

Logo após a derrota para o Goytacaz, em Nova Friburgo, o clube começou a sua reconstrução, atingindo seus objetivos nessa temporada, com o acesso para a Série A do Estadual e a conquista da Copa Rio, que lhe assegurou uma vaga na Copa do Brasil-2019.

Um dos primeiros atos da diretoria foi renovar o contrato de três jogadores: Espinho, Rafinha e Abuda. Hoje, os três e ainda o goleiro Patrick, outro remanescente do ano passado, comemoram a volta por cima:

"Fica um sentimento de dever cumprido. Depois de um ano triste, conseguimos alcançar as três metas que cumprimos no início do projeto, exatamente um ano após aquela derrota. Estou muito feliz de fazer história no Americano e fazer a felicidade do pessoal do CT e dos torcedores. É algo que nenhum dinheiro compra", disse o lateral-esquerdo Rafinha.

Antes de voltarem a vestir a camisa alvinegra, Espinho, Rafinha e Patrick levantaram outra taça. Emprestados ao Serra/ES, os três foram campeões capixabas:

"Este ano de 2018 foi todo de superação. Não foi nada fácil o ano passado e agora conseguimos conquistar os objetivos nesta temporada. Gratidão é a palavra que explica todo este momento que estamos vivendo. Devolvemos o Americano para o lugar de onde nunca deveria ter saído", falou Espinho, que completou 12 anos de clube.

O Americano estreia na primeira fase do Campeonato Carioca dia 22 de dezembro, contra o America.