Brasil encara a remodelada Argentina em amistoso na Arábia Saudita


A seleção brasileira encarará nesta terça-feira, no estádio King Abdullah Sports City, em Jidá, na Arábia Saudita, o mais importante desafio depois da Copa do Mundo, em amistoso com a remodelada Argentina, que não terá mais uma vez o astro Lionel Messi.

Os comandados por Tite entraram em campo três vezes desde a queda para a Bélgica, nas quartas de final do Mundial, e bateram Estados Unidos, El Salvador e Arábia Saudita, este último duelo realizado na sexta-feira e que terminou com placar de 2 a 0. Os gols da verde e amarelo foram anotados por Gabriel Jesus e Alex Sandro.

O encontro com os argentinos, que acontece pelo quinto ano consecutivo - no período foram outros dois amistosos e dois duelos pelas Eliminatórias para a Copa -, é apontado pela comissão técnica como importante na preparação para o próximo torneio oficial que será disputado pela seleção, a Copa América, em 2019.

Para o jogo desta terça-feira, em Jidá, a expectativa é de uma seleção com muitas mudanças, com relação ao time titular que passou pela Arábia Saudita. Embora Tite não tenha revelado a escalação, provavelmente, o sistema defensivo será quase todo alterado.

No gol, Alisson deverá retornar, substituindo Ederson, que teve rara chance de atuar pelos pentacampeões. Além disso, Danilo, Miranda e Filipe Luís devem atuar nos lugares de Fabinho, Pablo e Alex Sandro, respectivamente. Marquinhos, então, seria o único remanescente da partida de sexta-feira.

No meio e no ataque, a maior possibilidade é de uma mudança por setor, com Arthur ganhando a vaga de Fred e atuando com Casemiro e Renato Augusto. Mais a frente, Roberto Firmino deve voltar a jogar, ocupando espaço de Gabriel Jesus, em linha que ainda teria Neymar e Philippe Coutinho.

A Argentina também entrou em campo na Arábia Saudita há poucos dias, na quinta-feira, e goleou o Iraque por 4 a 0. Os gols da partida, que abriu o que vem sendo chamado de mini-torneio, pelos anfitriões, foram marcados pelo atacante Lautaro Martínez, o meia Roberto Pereyra, o zagueiro Germán Pezzella e o meia Franco Cervi.

Assim como acontecerá com a seleção brasileira, a 'Albiceleste' também terá muitas mudanças na escalação. De acordo com a imprensa argentina, a mexida de maior impacto do técnico interino Lionel Scaloni deverá ser a saída do atacante Paulo Dybala, que daria lugar ao meia Eduardo Salvio.

Os únicos que voltariam a atuar nesta terça-feira como titulares seriam o Pezzella, além do goleiro Sergio Romero e o meia Leandro Paredes. Uma das atrações, assim, seria o atacante Mauro Icardi, badalado na Itália, que ainda busca se firmar com a camisa dos bicampeões mundiais.

O zagueiro Walter Kannemann, do Grêmio, que entrou no decorrer do jogo com o Iraque, voltaria a iniciar partida no banco de reservas.

Vale lembrar que os argentinos não contam como Messi, além de outras figuras como os atacantes Sergio Agüero e Gonzalo Higuaín, o meia Ángel Di María, entre outros. A ausência do camisa 10 é a mais sentida e se repete, já que o craque ficou fora dos jogos de setembro da seleção.

Na Argentina, a expectativa é que o atacante do Barcelona volte a ser convocado para a Copa América, que acontecerá, justamente, no Brasil.

Nesta terça-feira, no 105º encontro - segundo a Fifa -, entre as duas seleções, será entregue taça ao vencedor. Por isso, de acordo com a organização, caso aconteça empate nos 90 minutos, será realizada disputa de pênaltis.

Prováveis escalações:.
Brasil: Alisson; Danilo, Marquinhos, Miranda e Filipe Luis; Casemiro, Arthur e Renato Augusto; Neymar, Philippe Coutinho e Roberto Firmino. Técnico: Tite.

Argentina: Romero; Bustos, Pezzella, Otamendi e Tagliafico; Paredes, Battaglia e Lo Celso; Salvio, Correa e Icardi. Técnico: Lionel Scaloni.

Árbitro: Felix Brych (Alemanha), auxiliado pelos comptriotas Mark Borsch e Stefan Lupp

Estádio: King Abdullah Sports City, em Jidá (Arábia Saudita).