Com gol de Luciano, Flu cala estádio do Nacional e avança à semifinal

Sornoza e Luciano comemoram o gol que abriu o marcador no Parque Central
Com uma atuação segura em Montevidéu, o Fluminense se impôs diante do Nacional e avançou à semifinal da Copa Sul-Americana. O gol da vitória por 1 a 0 foi marcado pelo atacante Luciano, que foi uma das peças mais inspiradas do time no Parque Central.

A equipe de Marcelo Oliveira foi superior do começo ao fim, soube suportar a pressão do alçapão uruguaio e calou o estádio rival. Com o resultado favorável, o Flu aguarda a definição do confronto caseiro entre Atlético-PR e Bahia para saber quem irá encarar na próxima fase da competição continental.

Após a partida em Montevidéu, o Flu volta as suas atenções para o Campeonato Brasileiro. No sábado, o Tricolor encara o Vasco, às 17h, no Maracanã.

Flu sem medo
A equipe ouviu os apelos de Marcelo Oliveira e entrou de forma destemida no Parque Central. Com muita personalidade, o Flu ignorou os gritos da torcida adversária e ditou o ritmo do primeiro tempo.

Com velocidade e marcação forte, os tricolores não deixaram o Nacional "gostar do jogo". Os cariocas tocaram bem a bola e levaram perigo em jogadas pelas pontas, especialmente pelo lado esquerdo. Após excelente passe de Luciano, Ayrton Lucas teve a melhor oportunidade para abrir a contagem, mas perdeu o tempo de bola e o chute explodiu na zaga.
Apesar deste domínio, o goleiro Conde não foi muito acionado, ainda que os visitantes tenham usado da bola aérea uma arma muito usada na etapa inicial. Júlio César, por sua vez, praticamente não encostou na bola. 

Cadê o VAR?
Aos 30 minutos, Everaldo invadiu a área e foi desarmado por Garcia. Os tricolores pediram pênalti, mas o árbitro Roberto Tobar ignorou os apelos pela utilização do VAR para revisão da jogada. A orientação é que o recurso só seja acionado em lances considerados evidentes.

Justiça feita
Os times mal haviam entrado em campo e o Fluminense traduziu a sua superioridade logo no início. Aos três minutos, o goleiro Conde errou feio na saída de bola, entregou nos pés de Sornoza, que achou Luciano. O atacante teve calma no lance, limpou o goleiro e abriu o marcador.

Com a desvantagem, não restou outra alternativa aos donos da casa senão o ataque. O Flu recuou um pouco e apostou nos contra-ataques para tentar liquidar a fatura. Se tivesse caprichado um pouquinho mais no passe final, o time teria ampliado, já que o Nacional se expôs.

Com o apoio da arquibancada, o Nacional saiu de forma desordenada para tentar o empate. Muito consciente e com os nervos no lugar, os tricolores não deixaram a temperatura subir e garantiram uma mais que merecida vaga.

Inacreditável
Aos 45 da etapa final, Matheus Alessandro arrancou absolutamente sozinho, chegou na frente de Conde, mas tocou para fora. Uma chance de ouro de minimizar o sofrimento dos últimos minutos.

Luciano quebra "tabu"
Não bastasse marcar o gol que valeu a vaga à semifinal da Copa Sul-Americana, o atacante Luciano derrubou uma escrita que o Nacional trazia consigo. Até esta noite, o time uruguaio não havia sido derrotado e vazado em nenhum jogo por competições continentais no ano. Eram seis vitórias e um empate até a noite desta quarta-feira.

Marcelo "local"
Jogador do Nacional na década de 80, o técnico Marcelo Oliveira viveu uma experiência inédita essa noite: participou pela primeira vez de um jogo no Parque Central. Durante seu período no clube, a equipe mandou seus jogos no Estádio Centenário.

Ação tricolor
O marketing do Flu aproveitou a passagem da equipe pelo Uruguai para fortalecer oslaços com seus fãs. Antes de a bola rolar, o clube promoveu um almoço em um restaurante no Mercado do Porto. Horas depois, os que tinham ingresso foram juntos para o Parque Central.

Tricolores presentes
Capitaneados pela torcida "Fluruguay", composta por tricolores que vivem no país vizinho,  os tricolores marcaram presença no Parque Central. Os cariocas tiveram uma carga de 3 mil ingressos à disposição.

FICHA TÉCNICA
NACIONAL x FLUMINENSE

Local: Parque Central, em Montevidéu (URU)
Data: 31/10/2018
Horário: 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann (CHI)  e Claudio Rios (CHI)
Cartões amarelos: De Pena, Rolín, Fernandez, Castro (NAC); Digão, Gum (FLU)
Cartões vermelhos: Espino (NAC)
Gols: Luciano, aos 3 minutos do segundo tempo

NACIONAL
Conde; Fucile (Viudez), García, Rolín e Espino; Zunino, Romero, Oliva (Aguiar), Castro e De Pena (Fernandez); Bergessio. Técnico: Alexander Medina

FLUMINENSE
Júlio César; Ibañez, Gum  e Digão; Jadson, Airton (Paulo Ricardo), Richard, Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo (Junior Dutra) e Luciano (Matheus Alessandro). Técnico: Marcelo Oliveira