Departamento Psicossocial ajuda no desempenho dos jogadores

Além da preparação física e tática, os jogadores do Serra Macaense também contam com todo o suporte mental para entrar em campo. No próximo sábado (13), o Verdão estreia no Torneio Otávio Pinto Guimarães contra o Fluminense, no Estádio de Los Larios, no Rio de Janeiro.

Em fase de pré-temporada, o elenco com jovens atletas tem sido atendido pelo Departamento Psicossocial para que possam tirar de si o mais elevado rendimento em busca dos resultados. Para isso, um planejamento foi montado pelos psicólogos Ivana Zimmermann, Jefferson Azevedo e Tatiane Cantiliano Rodrigues. “Essa participação no OPG é de extrema importância para o Serra Macaense, visto que é a maior vitrine para os atletas da base e excelente oportunidade de jogar contra os grandes do Rio de Janeiro. Além disso, o clube aproveita todo o processo de preparação e competição para avaliar jogadores e profissionais técnicos para fazer parte da equipe profissional do próximo ano”, explica Tatiane.

Dessa forma, o departamento trabalha em várias frentes, facilitando a integração e ambientação de todos os envolvidos com a equipe, a fim de que se torne um elenco coeso, motivado, competitivo e autorresponsável. “Também damos suporte às estratégias do clube, equipe técnica e profissionais de saúde, em programas de desenvolvimento de carreiras, visto que alguns jogadores que compõem o plantel já são profissionalizados e possuem contratos assinados com outras agremiações. Estruturamos um programa de treinamento para competições curtas e rápidas como é o caso do OPG, com o objetivo de favorecer o desenvolvimento das habilidades cognitivas e psicológicas que podem, se não trabalhadas adequadamente, interferir no rendimento esportivo. São elas: atenção, concentração, autoconfiança, controle da ansiedade e autoeficácia”, afirma a profissional.

Essa mescla de meninos das categorias de base com atletas que estiveram na disputa do Campeonato Carioca – Série B1 é um diferencial do Serra Macaense para a 1ª rodada do OPG. A experiência dos nove remanescentes que estão à disposição para a estreia propicia um nível ainda melhor dos demais jogadores pelo fator anímico e a bagagem trazida das outras competições.

“É fato que a experiência colabora muito no sentido de trazer maturidade e confiança para a equipe, somando-se ao fato de disputarmos igualmente competições de bom nível em todas as categorias ao longo da temporada o que eleva todos os atletas de forma geral. O grupo profissional esse ano possuía média de idade de 20,7 anos, por isso, alguns destaques foram escalados para integrar a equipe da sub-20 que fez um belíssimo Campeonato Carioca – Série B1 terminando em 5º lugar. Na prática, o que temos presenciado sob o comando do treinador Clayton Moraes é um time bastante técnico, inteligente, ousado, motivado e extremamente habilidoso”, ampliou a Coordenadora do Departamento.

Comentários