Presidente vê Seletiva como sequência da B1 e projeta Goytacaz entre os 12

Pelo segundo ano consecutivo o Goytacaz estará disputando a Seletiva do Campeonato Carioca. E por mais que tenha se livrado da Segundona em 2017, o Alvianil ainda não se considera, de fato, na elite. Pelo menos é que o explica o presidente Dartagnan Fernandes, que voltou a criticar a fase preliminar, que reúne seis equipes na luta por duas vagas na etapa principal.

- A expectativa é a melhor possível. O clube tem que tomar consciência de que precisa entrar no bloco dos 12 para disputar primeiro e segundo turnos. No meu entendimento são dois campeonatos distintos. Um classificatório (Seletiva) e o outro verdadeiro, oficial. Eu faço muita crítica em relação a isso. Eu acho que tem que ser um único campeonato e, por aí, há um entendimento de clubes, num todo, para que se acabe uma vez por todas com essa Seletiva, que não contempla nenhum clube que vem da segunda divisão. Para mim a Seletiva é uma continuidade da Série B1 - afirmou.

O mandatário do Goyta acredita que a Seletiva de 2019 será ainda mais complicada do que a última, quando o time campista ficou por um gol de alcançar a classificação à fase principal. A promessa é de um elenco forte e capaz de ficar no G-2.

- O Goytacaz tem que se preparar. A Seletiva desse ano será muito mais difícil do que a Seletiva do último ano. Evidentemente vamos fazer uma equipe competitiva para conseguir uma das duas vagas - prometeu.

O Goytacaz estreia na Seletiva em 22 de dezembro, fora de casa, contra o Nova Iguaçu. Antes do fim de 2018 o Alvianil ainda entra em campo mais uma vez, no dia 29 seguinte, no Aryzão, para o clássico diante do Americano, pela segunda rodada da fase preliminar.

Fonte: FutRio