Definição da Série B2 do Rio, no caso Maricá, sairá nesta quarta-feira no STJD

O Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol se reunirá nesta quarta-feira, dia 21 de novembro, para mais uma sessão de julgamentos. Ao todo 16 processos serão julgados em dois turnos: manhã iniciando às 10h e tarde iniciando às 14h. A sessão será realizada no plenário do STJD localizado no Centro do Rio de Janeiro. Entre os processos, o décimo sexto e último do dia será o que dará rumo a Série B2 do Rio de Janeiro, paralisada há um mês, e que ainda está indefinida quanto o acesso de Campos e Nova Cidade, com o recente resultado do próprio STJD, devolvendo os pontos do Maricá.

Maricá, Nova Cidade, Queimados, Campos e Pérolas Negras ainda não sabem o que será feito do acesso que, no campo, foi conquistado por nilopolitanos e campistas: um grande imbróglio judicial e seguintes instâncias e adiamentos foram arrastando o processo, deixando o campeonato indefinido até as portas de um novo ano. 

ENTENDA O CASO
O Maricá, dono da segunda melhor campanha geral, foi denunciado por escalar indevidamente o atacante Felipe Zuca, artilheiro isolado do campeonato, com 11 gols marcados. A alegação é de que Zuca atuou o campeonato inteiro com um contrato de amador, mesmo tendo nascido em 1997, tendo portanto 21 anos incompletos. Amparado pela Lei Pelé, no entanto, o Maricá se defendeu, afirmando que tal possibilidade não era ilegal. O caso foi para os Tribunais e o campeonato foi paralisado pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ) logo após a última rodada do returno. 

Na primeira instância, o clube foi absolvido, mas acabou punido, na segunda, com a perda de seis pontos. Isto tiraria o Maricá da luta pelo acesso, mas ainda havia uma última instância por recorrer, o STJD. A FFERJ chamou para si a responsabilidade e decidiu retomar o campeonato do ponto em que parou. O returno foi vencido pelo Pérolas Negras, o que confirmou a eliminação do Maricá, enquanto Nova Cidade e Campos conquistaram, mais tarde, o acesso. Dois dias antes da finalíssima entre os dois clubes, porém, o choque: o Maricá tornou a ser absolvido no STJD, a última instância esportiva possível, o que deixou um grande ponto de interrogação no campeonato e a dúvida sobre o que será feito com um acesso já conquistado em campo, enquanto uma equipe ainda tem, por direito, a possibilidade de subir. Uma demora que parece não ter fim.

JULGAMENTO DESTA QUARTA-FEIRA
Os embargos opostos pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, nos autos do Processo nº 358/2018 - Recurso Voluntário – Procedência: TJD/RJ - Recorrentes: Maricá FC e Viva Rio Pérolas Negras 

Recorrido: TJD/RJ. Terceiro Interessados: EC Rio São Paulo; Mesquita FC; CIG 7de abril. AUDITOR RELATOR: Dr. João Bosco Luz.