Fora da Libertadores, Santos e Botafogo empatam em jogo que perdeu o brilho

Santos e Botafogo empataram por 1 a 1 nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, em jogo válido pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol santista foi marcado por Rodrygo no primeiro tempo, enquanto Brenner empatou para os cariocas na etapa final. O duelo era uma espécie de decisão pois os dois times brigavam por uma vaga na Copa Libertadores de 2019, mas perdeu o "brilho" ainda no primeiro tempo, quando terminou o duelo entre Internacional e Atlético-MG, no Beira-Rio.

Isso porque Santos e Botafogo foram 'eliminados' da disputa com o triunfo do Galo em Porto Alegre. Com 56 pontos, o Atlético-MG atingiu a pontuação máxima que Botafogo ou Santos poderão somar no fim da última rodada. Porém, os mineiros ainda contam com 16 vitórias, número que jamais seria atingido por cariocas ou paulistas.

Com o empate, o Botafogo fica na nona colocação, com 47 pontos, seguido pelo Santos, com 46 pontos, na décima posição.

Na próxima rodada, o Santos encara o Atlético-MG, neste sábado, às 20h (de Brasília), na Vila Belmiro. O Botafogo encara o Paraná na próxima segunda-feira, às 20h (de Brasília), no Engenhão.
O melhor em campo: Luiz Felipe volta com tudo na zaga do Santos
Recuperado de lesão na panturrilha e de volta ao time após três jogos, o zagueiro Luiz Felipe comandou o sistema defensivo do Santos. O defensor melhorou a saída de bola da zaga e fez "cortes" precisos. Em um deles, o zagueiro evitou um gol de Moisés, lateral do Botafogo, no início da partida.

O pior em campo: Marcinho exagera nas faltas e só "ameaça" no ataque
O lateral Marcinho, do Botafogo, fez faltas inocentes e algumas até violentas – uma delas em Gabigol. O botafoguense levou cartão amarelo ainda no primeiro tempo por falta em Rodrygo. Ele aparecia no ataque, mas sem qualidade, errava dribles e até domínio de bola.

Rodrygo quebra jejum de três meses sem gol
O gol do atacante Rodrygo diante do Botafogo quebrou um jejum de três meses da "joia santista" sem marcar um gol. O camisa 9 não balança as redes desde o dia 15 de agosto, quando o Santos  venceu o Sport por 3 a 0, na Vila Belmiro, pela 19ª rodada do Brasileiro.  
Gabigol é expulso, mas juiz recua e anula vermelho
Gabigol foi expulso pelo árbitro Heber Roberto Lopes após uma suposta cotovelada em Léo Valência no segundo tempo. No entanto, o juiz conversou com um de seus auxiliares e recuou na decisão. O árbitro anulou o vermelho e o camisa 10 seguiu em campo.

Novidade, "reforço de Cuca" acerta o travessão
O atacante Felippe Cardoso, principal novidade na escalação do Santos e único reforço pedido por Cuca, acertou o travessão aos 34 minutos do primeiro tempo e quase abriu o marcador. O centroavante foi a contratação mais polêmica do clube na temporada, pois chegou com uma lesão no púbis.
Botafogo foi melhor no geral, mas Santos quase vence no fim
Somando os dois tempos, o Botafogo jogou melhor, mas foi o Santos que teve a chance de vencer o jogo no final da partida. No último minuto, o Marcelo Benevenuto desviou contra o seu gol e bola acertou a trave. Na sequência, Gatito fez a defesa, e os santistas pediram pênalti, alegando toque de mão do adversário.

Vanderlei vira "desfalque de última hora" na Vila
O Santos atuou sem o goleiro Vanderlei, ídolo de sua torcida. O camisa 1, com virose, passou mal no vestiário pouco minutos antes do jogo começar e pediu para não atuar. Vladimir foi o seu substituto.
FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 1 BOTAFOGO

Data/hora: 21/11/2018, às 21h (de Brasília)
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Auxiliares: Henrique Neu Ribeiro (SC) e Eder Alexandre (SC)

Gols: Rodrygo aos 35 minutos do primeiro tempo (Santos) e Brenner aos 14 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Marcinho (Botafogo) e Gabigol (Santos)

Santos
Vladimir; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Diego Pituca e Arthur Gomes (Copete); Rodrygo (Anderson Ceará), Gabigol e Felippe Cardoso (Eduardo Sasha).Técnico: Cuca

Botafogo
Gatito Fernandez; Marcinho, Marcelo Benevenuto, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, Leo Valência (Léo Valência) e Luiz Fernando; Erik (Rodrigo Pimpão) e Brenner (Kieza). Técnico: Zé Ricardo