Tetra no ciclismo, Afonso Celso fica em segundo melhor do Brasil este ano

Tetracampeão brasileiro na categoria máster, o ciclista Afonso Celso Pacheco não mais alimenta expectativa quanto à conquista do seu quinto título nacional consecutivo este ano. Depois de chegar em sétima colocação, na penúltima prova do calendário, na região de Nova Friburgo, o atleta campista foi ao Planalto Central, no último final de semana para a Prova dos 100 KM de Brasília, a segunda prova de rua mais antiga do Distrito Federal.

— Em Friburgo, cheguei em sétima colocação. Fiquei satisfeito porque foi uma prova de muita subida, não é a minha praia. Entramos por Bom Jardim, Macuco, Santa Maria Madalena e saímos em Trajano de Moraes, num percurso de 140 km. Em Brasília, a prova foi na Esplanada dos Ministérios, numa prova em terreno plano, onde eu tinha tudo para ganhar a corrida. Mas tive dificuldades porque foram 1.200 metros acima do nível do mar, com a umidade em torno de 10%,o cansaço bateu. Ainda assim somei mais 30 pontos — admitiu.
  
A última corrida do ano em Campina Grande (PB), neste domingo, não contará com a presença do tetracampeão.
  

—Se eu fosse e ganhasse a corrida, seriam 80 pontos, o suficiente para ser pentacampeão neste ano. Não seria mais alcançado. Nas as despesas são muito altas. Para ir teria que desembolsar em torno de R$ 6 mil. Só a passagem aérea para lá custa R$ 3.500,00. Gostaria de ir e ser de novo campeão, aliás penta.

Chegar em primeiro é sempre bom porque em nosso país ninguém valoriza o vice-campeão, o segundo colocado. Mas não estou de todo descontente porque já ganhei em 2014/15/16/17, o que me deixa feliz como atleta em ter construído essa história. No ano que vem pretendo competir o ano todo — projetou o atleta campista.

Diretor de ciclismo da Fundação Municipal de Esportes, Afonso Celso acrescenta ainda que enfrentou problemas particulares este ano que contribuíram para uma menor pontuação este ano.

— Tive problemas de saúde, depois veio o falecimento de um familiar, o que me levou a abandonar uma prova em Rio Preto (MG). Mas, em 2019, espero fazer o circuito nacional todo e disputar o título. Aos empresários que tiverem interesse em colocar a marca de sua empresa em meu uniforme, estou à disposição. Terão retorno sempre porque estamos sempre no pódio e vocês terão visibilidade — argumentou.

Com Afonso na segunda colocação, o catarinense Almir Antônio Krein deverá ser o campeão brasileiro este ano na categoria máster, no ranking a ser oficializado pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC).