Treinando no Boavista, Carlos Alberto pode seguir "dinastia" do clube

image
Leandrão, Julio Cesar, Fellype Gabriel, Antônio Carlos, Renato Silva, Marcelo Nicácio, Anselmo... jogadores veteranos, conhecidos do grande público no futebol nacional e que, recentemente, defenderam o Boavista. Com mais ou menos brilho, eles ajudaram a formar a tradição de um clube que gosta de apostar nos chamados "medalhões".

Projetando 2019, com base nos nomes confirmados até aqui, o goleiro Rafael, de 34 anos, desponta como o mais rodado do elenco. Julio Cesar segue no clube, mas agora na função de auxiliar-técnico. Há, no entanto, a possibilidade de um reforço de luxo: Carlos Alberto, meia de 33 anos, ex-Flu, Vasco, Botafogo e inúmeros outros times brasileiros e do exterior.

Carlos Alberto foi uma das novidades na apresentação do elenco, no último dia 5. A direção, entretanto, deixou claro que o jogador apenas vem aproveitando a boa relação com o gestor do clube, João Paulo Magalhães, para manter a forma com os demais jogadores do elenco no CFZ, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, onde o Verdão tradicionalmente realiza os treinamentos.

Mais de um ano sem jogar
Carlos Alberto não disputa uma partida oficial desde o dia 5 de julho, pela Libertadores, quando ainda defendia o Atlético (PR). Logo após a eliminação na competição continental, rescindiu contrato com o Furacão. Por lá, foram apenas 10 jogos disputados e um gol anotado em uma breve passagem.

Desde então Carlos Alberto não reapareceu profissionalmente, mas tampouco anunciou a aposentadoria. Formado no Fluminense, o meia também teve passagem de destaque pelo Vasco no título da Série B do Brasileiro em 2009. Chegou a atuar no clube até 2013 - alternando empréstimos com Bahia e Grêmio (RS).

image

Carlos Alberto também vestiu a camisa do Botafogo. Foram duas passagens: 2008 e 2014. Na segunda, participou do último rebaixamento do Alvinegro à segunda divisão nacional. No exterior, acumulou experiências no Werder Bremen (ALE) e Porto (POR). Em solo português, faturou o título da Liga dos Campeões da Europa ainda no início da carreira.

O perfil andarilho e com clubes de peso no currículo encaixa bem com a proposta adotada pelo Boavista nos últimos anos. Resta saber se a boa relação com os dirigentes do Verdão realmente se transformará em uma nova chance no Rio de Janeiro, agora numa equipe de menor investimento - cenário que seria inédito na carreira do consagrado atleta.

No Barra da Tijuca, só treinamentos
Mesmo que tenha sido um sonho distante, a participação de Carlos Alberto na Série B1 do Campeonato Carioca chegou a ser cogitada. O jogador participou dos treinamentos com o Barra da Tijuca, mas não foi, de fato, contrato pelo Tricolor da Zona Oeste, que realizou campanha mediana na competição.


No Barra, Carlos Alberto dividiu rotina com outros nomes conhecidos do futebol carioca, como o zagueiro Fábio Braz e o atacante Rodrigo Tiuí. Ambos assinaram contrato, vestiram a camisa e foram a campo, enquanto o meia não deu o ar da graça na Segundona Estadual, certame no qual seria o principal nome em caso de participação.

Dois meses pela frente
Caso queira convencer Carlos Alberto a envergar a camisa verde em 2019, a direção do Boavista terá tempo para seduzir o atleta. A estreia do clube no Campeonato Carioca será em 19 ou 20 de janeiro, contra a equipe que avançar como primeira colocada na Seletiva. Até lá, o time de Saquarema foca na pré-temporada, que contará novamente com um período nos Emirados Árabes.

Até o momento o Boavista confirmou poucos reforços. Nenhum deles segue o perfil "medalhão consagrado". São eles o volante Maicon Douglas, ex-Sampaio Corrêa, o meia Arthur Rezende, vindo no Santa Cruz (PE) e o atacante Luis Soares, que estava no futebol sueco. Entre jogadores que já defenderam o clube, o lateral-esquerdo Christianno também está confirmado, vindo do Boa (MG).

Fonte: FutRio