Mesmo sem taça, Tom rechaça frustração; lateral leva prêmio individual

Até que o Campos criou boas chances para faturar o título, mas não saiu do 0 a 0 com o Nova Cidade no tempo normal e acabou sendo derrotado nos pênaltis. Sem a taça da Série B2, o elenco do Roxinho evitou lamentações. Por todo caos jurídico que foi a competição - obrigando o Roxinho a alcançar o acesso por duas vezes -, Tom acredita que o dever foi bem cumprido, mesmo sem a primeira conquista estadual do clube.

- Não teve frustração. A gente sai de cabeça erguida, com a sensação que demos nosso melhor. Saímos tristes por sermos superiores, criarmos e não marcamos. Com certeza queríamos o título, ainda mais porque seria inédito, seria mais do que especial, de suma importância para todos e para o clube, que só tem títulos de turno - explicou o lateral-esquerdo, que salientou ainda o esforço dos companheiros de equipe.

- Só tenho que agradecer, de coração, a todos meus companheiros, toda comissão, a diretoria, porque não é fácil passar por tudo que passamos, por tudo que fizeram com a gente. Tivemos motivos de sobra para desanimar, mas tiramos forças um do outro para voltarmos mais fortes. Somos mais do que campeões.

Sobre a decisão em si, Tom acredita que faltou maior precisão nas finalizações. O Roxinho não conseguiu transformar o bom volume de jogo em bolas na rede. Nas penalidades, prevaleceu a qualidade do oponente, mais frio na marca da cal.

- Faltou caprichar mais no último passe, escolher a melhor opção e ter tranquilidade. Pênalti é consequência, eles foram felizes. Queríamos o título para coroar nosso ano que foi de muita dificuldade, mas Deus sabe de todas as coisas. O título ficou em boas mãos pelo grande trabalho do Nova Cidade.

Premiação individual coroa Tom
Apesar do título não ter ficado com o Campos, Tom foi eleito o melhor lateral-esquerdo na votação popular da Seleção FutRio JJ Invest B2, assim como já havia acontecido na Série C de 2017. Mais uma vez pensando no coletivo, o lateral dividiu os méritos com o restante do plantel.

- Toda honra e toda glória sejam dadas a Deus. Esse prêmio é fruto de muito trabalho, dedicação e pés no chão. Divido esse prêmio com todos os meus companheiros, sem eles não seria possível. Fico feliz por mais uma vez ser eleito o melhor lateral-esquerdo, sou um cara que me cobro demais, trabalho demais e graças a Deus fui abençoado por essa conquista individual - finalizou.

Com o aceso, o Campos vai disputar a segunda divisão do Campeonato Carioca na próxima temporada, competição da qual foi vice-campeão em 2016, quando ainda utilizava o registro do Carapebus.