Retrospectiva 2018: relembre os principais fatos que marcaram o ano no esporte brasileiro e mundial

Alexander NEMENOV / AFP
França bicampeã da Copa do Mundo, final histórica de Libertadores em Madri, hegemonias mantidas no tênis, Fórmula-1 e ginástica artística. Zebras no Super Bowl e na escolha do melhor jogador do mundo pela Fifa. O retorno de Felipão que fez o Palmeiras campeão brasileiro. 

Nem só conquistas, mas também tragédias, como o acidente de helicóptero que vitimou o dono do Leicester, ou o brutal assassinato do meia Daniel Corrêa. São muitas as histórias que construíram o ano de 2018. 

Janeiro
Na Austrália, Federer conquistou o 20º Grand Slam de sua carreira
SAEED KHAN / AFP
O ano de 2018 começou com Roger Federer fazendo história. O tenista suíço obteve novo recorde ao vencer o croata Marin Cilic na final do Aberto da Austrália e conquistar o 20º Grand Slam de sua carreira. 

No futebol brasileiro, como de costume, o período foi de contratações. O São Paulo, por exemplo, anunciou o meia-atacante Diego Souza. Já o Santos repatriou o atacante Gabigol, após um período no futebol europeu.

Fevereiro
Philadelphia Eagles surpreendeu o New England Patriots no Super Bowl
TIMOTHY A. CLARY / AFP PHOTO
O Super Bowl LII apresentou uma grande zebra. Em Minneapolis, nos Estados Unidos,  o Philadelphia Eagles venceu o favoritaço e então campeão New England Patriots. A equipe de Tom Brady foi derrotada por 41 a 33.

No futebol mundial, um susto. Em partida pelo Campeonato Francês, entre PSG e Olympique de Marselha, o atacante Neymar deixou o gramado aos prantos, carregado em uma maca. Dias depois viria o diagnóstico: o brasileiro sofrera uma fratura no tornozelo e precisaria passar por cirurgia. Tudo isso meses antes da disputa da Copa do Mundo.

Março
Gaúcha Maria Portela conquistou o ouro no Grand Slam de Judô, na Rússia
Divulgação / IJF
A gaúcha Maria Portela, atleta da Sogipa, conquistou a medalha de ouro no Grand Slam de Judô em Ecaterimburgo, na Rússia, ao derrotar a anfitriã Taisia Kireeva na categoria até 70 quilos.

No futebol, o destaque foi o sueco Zlatan Ibrahimovic, que se transferiu para o Los Angeles Galaxy, para jogar a Major League Soccer (MLS).

Abril
Rogério Caboclo foi eleito presidente da CBF
Leandro Lopes / CBF
Em uma eleição com candidato único, Rogério Caboclo foi escolhido como novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). No entanto, o ex-cartola da Federação Paulista só assumirá o cargo de fato a partir de abril de 2019. Até lá, a cadeira segue ocupada oficialmente por Coronel Nunes, que assumiu de maneira interina desde o afastamento de Marco Polo Del Nero.

Enquanto isso, os campeonatos estaduais chegavam ao fim. Em São Paulo, o Corinthians batia o Palmeiras, nos pênaltis, fora de casa. No Rio de Janeiro, também nas penalidades, o Botafogo superou o Vasco para ficar com a taça.

A nível internacional, destaque para o francês Arsène Wenger, que teve sua saída oficializada depois de 22 anos à frente do Arsenal, da Inglaterra.

Maio
Real Madrid conquistou a Liga dos Campeões da Europa pela terceira vez consecutiva
PIERRE-PHILIPPE MARCOU / AFP
O mês de maio decretou os campeões europeus. Em Kiev, na Ucrânia, o Real Madrid venceu o Liverpool por 3 a 1 e garantiu o título da Liga dos Campeões pela terceira vez consecutiva. Aliás, o domínio espanhol se estendeu também para a Liga Europa, onde o Atlético de Madrid superou na final o Olympique de Marselha por 3 a 0.

No Brasil, o atual campeão nacional, o Corinthians, perdia o seu treinador: Fábio Carille anunciava sua ida para o Al-Wehda, da Arábia Saudita.

Junho
Rússia sediou a Copa do Mundo de 2018
Juan Mabromata / AFP
Pela primeira vez na história, a Rússia recebia uma Copa do Mundo. No jogo de abertura, os donos da casa golearam a Arábia Saudita por 5 a 0. Já a estreia do Brasil não foi tão empolgante assim. Depois de sair na frente do marcador, os comandados de Tite recuaram e viram a Suíça empatar em 1 a 1.

De fora do Mundial, os norte-americanos centravam suas atenções no basquete. Também no mês de junho, a NBA conhecia seu campeão. Era o Golden State Warriors, que vencia o Cleveland Cavaliers, em Oakland, por 129 a 120. 

Julho
França se sagrou campeã mundial após vencer a Croácia na final
Alexander NEMENOV / AFP
A Copa do Mundo não terminou do jeito que imaginaram os brasileiros. Nas quartas de final, a Seleção acabou derrotada pela Bélgica e viu o sonho do hexa naufragar. Pior ainda fez a Alemanha. A então campeã acabou eliminada na fase de grupos, atrás de Coreia do Sul, Suécia e México. O título ficaria com a França, que, por 4 a 2, venceu uma surpreendente Croácia na decisão.

O Mundial sequer havia encerrado quando a Juventus anunciou a contratação de Cristiano Ronaldo. Após quase uma década no Real Madrid, o craque português foi negociado por 100 milhões de euros.

Na retomada do futebol brasileiro, o Palmeiras demitia Roger Machado e anunciava Luiz Felipe Scolari como seu substituto. Fora dos gramados, foi um mês pesado para o esporte nacional. Campeão gaúcho no ano anterior com o Novo Hamburgo, o técnico Beto Campos morreu vítima de um infarto enquanto dormia em sua residência em Santa Cruz do Sul. No Rio de Janeiro, Abel Braga perdeu o filho, João Pedro, de 18 anos, após queda de seu apartamento no Leblon.

Agosto
Djokovic venceu Federer e conquistou o Masters 1000 de Cincinnati
Rob Carr / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Pela primeira vez na história, um tenista completou a série de títulos nos nove Masters 1000, o Golden Masters. Em sua sexta final, o sérvio Novak Djokovic conquistou o torneio de Cincinnati, ao superar o suíço Roger Federer.

No futebol, três brasileiros se despediam da Libertadores. Mesmo vencendo o Colo-Colo em casa, o Corinthians acabava superado pelo saldo de gols e era eliminado da competição. Em duelo nacional, o Flamengo parava no Cruzeiro. De maneira ainda mais traumática, o Santos dava adeus diante do Independiente em jogo que acabaria em pancadaria e até invasão do gramado. A irritação do clube paulista foi motivada por uma punição imposta pela Conmebol por conta da escalação irregular do meia uruguaio Carlos Sánchez.

Setembro
Fifa elegeu o croata Modric o melhor da temporada, encerrando a hegemonia da década entre Cristiano Ronaldo e Messi
BEN STANSALL / AFP
A edição 2018 do The Best, da Fifa, foi histórica. Em evento realizado em Londres, o croata Luka Modric levou o prêmio de melhor do mundo pela primeira vez e encerrou o domínio da dupla Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, que se alternaram no topo nos últimos 10 anos. O prêmio feminino ficou com a brasileira Marta pela sexta vez.

No Mundial Masculino de Vôlei, o Brasil ficou com a medalha de prata ao ser superado na decisão pela Polônia. A equipe comandada pelo gaúcho Renan Dal Zotto perdeu por 3 sets a 0.

Outubro
Ex-jogador do São Paulo, Daniel foi assassinado brutalmente em São José dos Pinhais, no Paraná
Rubens Chiri / São Paulo
A editoria policial tomou conta do noticiário esportivo. Isso porque o meia Daniel Corrêa, revelado pelo São Paulo e então atleta do São Bento, foi encontrado morto em São José dos Pinhais, no Paraná. O corpo apesentava sinais de tortura e mutilação. Após longa investigação, a polícia concluiu o inquérito e indiciou sete pessoas pelo crime brutal.

Outra morte chocante foi a do magnata tailandês Vichai Srivaddhanaprabha. Dono do Leicester, ele foi vítima de um acidente de helicóptero, ao lado do estádio do clube inglês. 

No Brasil, o craque do futsal Falcão anunciou sua aposentadoria da Seleção Brasileira. Posteriormente, o camisa 12 também comunicaria seu afastamento do esporte.

Mas nem só de despedidas foi o mês de outubro. Após vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians, o Cruzeiro conquistou a Copa do Brasil mais uma vez. Na Fórmula-1, o inglês Lewis Hamilton garantiu o pentacampeonato, mesmo com um quarto lugar no GP do México. 

Já o UFC 229 terminou em briga generalizada fora do octógono. Dentro dele, vitória do russo Khabib Nurmagomedov sobre o irlandês Conor McGregor, em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Novembro
De volta ao Palmeiras, Felipão garantiu o título brasileiro à equipe paulista
Paulo Sergio / Lancepress
Depois de ser eliminado da Libertadores, o Palmeiras garantiu o título do Brasileirão após uma arrancada incrível. Sob o comando de Felipão, a equipe paulista não perdeu nenhum jogo e conquistou a taça com uma rodada de antecedência, batendo o Vasco, fora de casa, por 1 a 0.

No torneio continental, os rivais argentinos protagonizaram um fiasco com repercussão mundial. Ao chegar no estádio Monumental de Núñez, o ônibus do Boca Juniors foi atacado a pedradas por torcedores do River Plate. A situação foi levada aos tribunais e, alguns dias depois, a Conmebol confirmou que o jogo decisivo seria disputado em campo neutro, no Santiago Bernabéu, em Madri, na Espanha.

Na ginástica artística, o fenômeno Simone Biles deu às caras novamente. No Mundial disputado em Doha, no Catar, a norte-americana de 21 anos conquistou o 14º título de sua carreira. 

Dezembro
Com gols na prorrogação, River Plate superou o rival Boca Juniors e conquistou a Libertadores em Madri
JAVIER SORIANO / AFP
De fato, foi uma final histórica de Libertadores. Primeiro por reunir os maiores rivais argentinos. Depois, pelo fato de ter sido realizada em Madri, na Espanha. Com gols na prorrogação, o River Plate bateu o Boca Juniors e ficou com a taça.

O time treinado por Marcelo Gallardo, no entanto, não correspondeu à expectativa na disputa do Mundial de Clubes, nos Emirados Árabes Unidos. Nos pênaltis, a equipe acabou eliminada de maneira precoce, na semifinal, pelo Al Ain. Mas os árabes, que jogavam em casa, não conseguiram fazer frente ao Real Madrid, que impôs uma goleada de 4 a 1 e se sagrou campeão mundial pela sétima vez — terceira de maneira consecutiva.

Aos brasileiros, restou comemorar o feito de Gabriel Medina no surfe. Aos 24 anos, o paulista conquistou o bicampeonato mundial em Pipeline, superando o sul-africano Jordy Smith.

Comentários