Retrospectiva Botafogo 2018: Pimpão seguiu 'copeiro', mas fez poucos gols

Pimpão
A rotina de intensidade e altos e baixos, que é habitual na carreira de Rodrigo Pimpão, se repetiu em 2018. O atacante começou o ano como um dos mais experientes do grupo e titular, mas a temporada foi marcada por uma total irregularidade. Tanto que foram 28 jogos como titular e 27 entrando em campo após começar no banco de reservas. No total, 55 partidas e seis gols marcados.

Demorou seis jogos até o primeiro gol ser marcado. Foi contra a Aparecidense, pela Copa do Brasil. Ele não ficou marcado como vilão da vexatória eliminação do Botafogo, mas o gol da queda na competição foi marcado pouco depois de Pimpão ser expulso.

Pouco depois passou à condição de reserva, mas seguiu importante e voltou a dividir a torcida botafoguense entre aplausos e vaias na partida derradeira do Campeonato Carioca. Ele teve participação decisiva no gol de Carli, que levou a decisão para as penalidades. Nesta disputa, porém, ele desperdiçou uma das cobranças.

Mas voltou a fazer os alvinegros sorrirem ao marcar o gol da vitória do Glorioso sobre o Audax Italiano, no Chile, pela Copa Sul-Americana. O feito foi pouco após entrar em campo, e nos acréscimos da segunda etapa.

No segundo semestre, apesar de ter marcado gols nos dois jogos contra o Bahia pela Copa Sul-Americana, o atacante foi cada vez menos influente. Perdeu espaço para Erik, que, ele sim, contribuiu decisivamente para o ataque botafoguense evoluir no Campeonato Brasileiro.