Sana ganha medalha de prata em Brasileiro de Corfebol em Macaé

O Colégio Municipal Sana conquistou medalha de prata no Campeonato Brasileiro de Corfebol, realizado em Americana, São Paulo, no último fim de semana. A participação dos representantes da região serrana valida Macaé como uma das principais equipes da modalidade do país. A equipe é formada pelos estudantes-atletas Geremias Viana, Raquel de Vargas Grativol, Alice Klein, Pedro Simplício, Daniel Rivillini, Natiele Farias, Jonas Viana e Nilo Joshua. O time é um dos destaques em sites esportivos e páginas ligadas à prática esportiva. A equipe do Polo Fronteira, que conta com jogadores dos colégios municipais Samuel Brust, Leonel de Moura Brizola, além de moradores da Barra e proximidades, também se destacou no campeonato.

O final da disputa classificou os times da União Corfebol Clube (Santa Bárbara do Oeste), Sana (Macaé) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (campus Rio). A competição também contou com a participação das equipes de Casimiro de Abreu, Viver Bem (Maricá) e Serra Macaé.

A equipe do Sana participou do "Brasileiro de Corfebol" por ter ganhado uma medalha de prata no Campeonato Estadual, em novembro, em Casimiro de Abreu. Satisfeito com os resultados, o professor Juan Leal Garcia, destaca que as conquistas dos integrantes de Macaé se deve ao comprometimento e dedicação dos alunos. "Agradecemos aos estudantes, pais, familiares, diretores das escolas e equipes gestoras pelo apoio e também por acreditarem no Corfebol. O Colégio Municipal do Sana foi um dos destaques do ano letivo de 2017 no Campeonato Brasileiro e Campeonato Internacional de Corfebol. O próximo passo é reforçar os times dos colégios Raul Veiga (Glicério), Polo Fronteira (Barra) e Ivete Santana Drumond de Aguiar (Frade)", pontua.

Prática esportiva - O Corfebol consiste em arremessar a bola no cesto (em holandês, "corfe" significa cesta, ou seja, "bola na cesta"), colocado a 3,5 metros de altura. Cada cesta vale um ponto e a cada duas cestas há a inversão de posicionamento, ou seja, atacante vira defensor e vice-versa. A bola não pode ser conduzida e caso isso ocorra é apitada a falta. Portanto, o passe é a grande "arma" do jogo. Jogo misto proveniente da Holanda, o corfebol integra dois times formados por oito pessoas cada um: quatro do sexo masculino e quatro do sexo feminino. No país, apenas Macaé, Casimiro de Abreu, Rio de Janeiro e Americana (SP) contam com equipes dessa modalidade esportiva.

Comentários