Sem chances na Seletiva, objetivo do Goytacaz é espantar jejum de vitórias

Lanterna da Seletiva do Campeonato Carioca com somente um ponto em quatro jogos, o Goytacaz apenas cumpre tabela na última rodada da fase preliminar. Diante do Macaé - que também não tem mais chances de classificação - o time campista foca em espantar o jejum de vitórias em 2019. Caso o resultado positivo aconteça, também servirá de embalo para a disputa do Grupo X.

- Nem vejo (o jogo) como apronto (para o Grupo X). Vejo que a gente precisa vencer. Estamos há quatro partidas sem vencermos nenhuma. Independente de ser um jogo com importância mínima ou não, temos que vencer, pegar gosto pela vitória. O único time que ainda não venceu na Seletiva é o nosso. Então fica feio para os jogadores, para a instituição. Vamos lá para vencer, independente do caráter da partida - avisou Léo Guerreiro, que estreou como titular na derrota para o America.

- Jogador nenhum quer estrear como titular, dentro de casa, e ser derrotado, independente das pretensões na competição. Mas agora é virar a chave. Não tem jeito. Perdemos dentro de casa, foi feio, não foi legal, e temos que levantar a cabeça. Sabemos que esse Grupo X será dificílimo e temos que, da melhor forma possível, manter o Goytacaz, uma instituição de grande porte, na Seletiva, para que não possa cair para a segunda divisão - concluiu o centroavante.

O goleiro Gláucio, por sua vez, chama atenção para outro detalhe. Caso o Goytacaz termine em quarto lugar, a tabela do Grupo X será favorável, com primeiro e último jogos acontecendo dentro de casa.

- Terceiro e quarto colocados fazem o primeiro jogo em casa e decidem em casa. E a gente tinha ciência disso. A gente queria fazer esses pontos em casa (contra o America), até para dar um ânimo com essa vitória que ainda não veio. Temos um jogo nesse domingo, mas já pensamos no Grupo X, já que é nossa realidade. Precisamos pontuar para já chegar em terceiro ou quarto e ter essas vantagens de decidir em casa.

Nova filosofia vai ganhando força
Flávio Lopes estreou como técnico na derrota para o America, na quinta-feira (10). O substituto de Athirson vem tentando implementar seu estilo agora tendo o Grupo X como principal meta. Gláucio acredita que as mudanças acontecerão gradualmente e serão positivas.

- Foi um período rápido. Trabalhamos na segunda, na terça, e na quarta já era véspera do jogo, sendo que na segunda tivemos o desgaste daquela viagem longa para Resende. A gente não trabalhou tanto. Então ele manteve um pouco do trabalho que já vinha de 60 dias, até porque você mudar tudo em um, dois dias, não tem como - disse o arqueiro.

- Manteve algumas coisas, mas deu algum toque do estilo dele, de trabalhar a bola, das inversões... Vamos ver, já que domingo não dá mais tempo (de treinar tanto), está muito em cima, mas para a sequência do Grupo X, com semana cheia, ele vai conseguir implementar o trabalho dele.

Goytacaz e Macaé medem forças às 16h deste domingo (13), no Moacyrzão. 

Fonte: FutRio