Americano e a proximidade do sonho da "casa própria"

 
O Americano está sem casa para jogar, mas, a partir do final de 2020, já terá novo endereço para mandar suas partidas, no estádio que está sendo erguido em Guarus, junto ao Centro de Treinamentos (CT) Eduardo Viana. A capacidade inicial é para pouco mais de 8 mil pessoas, com previsão de ampliação para acomodar futuramente de 11 a 12 mil torcedores.

— Não temos essa informação de forma oficial, quanto ao prazo de conclusão da obra, mas são previsões que têm sido feitas pela diretoria em conversas que têm mantido com a construtora Imbeg. O estádio conta com todos os requisitos, atende a todas às exigências do Estatuto do Torcedor e de entidades como a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a própria Federação International de Futebol (Fifa) — disse a arquiteta Pollyanna Albernaz, que recebeu a reportagem da Folha, ao lado do encarregado Rosivaldo Souza.
Sim, o novo Godofredo Cruz é um estádio considerado de pequeno porte, mas contemplado com itens de segurança e conforto comparáveis às modernas arenas construídas pelo país e no mundo afora. Nos diferentes setores, há rampas com acesso para portadores de necessidades especiais, 16 lojas, onde serão instalados diferentes pontos para bares, restaurantes e vendas de outros produtos, estacionamento para 670 veículos, cabines de emissoras de rádio e televisão, além de área vip com camarotes para convidados. No térreo, uma área será destinada à sala de troféus, abaixo do setor administrativo, onde ficarão: gabinete para a administração do estádio, tesouraria e um espaço para o Programa Sócio-Torcedor.

Resultado de imagem para ct americano estádio
A nova arena do Alvinegro contará também com amplos vestiários para jogadores da casa e os visitantes, além da arbitragem; espaços para palestras, local para o estacionamento de ônibus que trazem as delegações, e áreas para os serviços de UTI móvel, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. O estádio, nos moldes de uma ferradura, conta com lances de arquibancadas numa das laterais (o setor mais extenso), além de outros nos setores que ficam atrás das balizas. No local, segundo Pollyanna, trabalham diariamente 25 operários da Imbeg.

Logo ao lado, fica o moderno CT, que leva o nome de Eduado Augusto Viana da Silva, ilustre ex-benemérito do clube e que presidiu a Ferj. Em fase de conclusão, já tem sido utilizado pelo clube.

O CT, denominado Cidade Alvinegra, tem uma área total de 192 mil metros quadrados, maior até do que a Granja Comary (CT da Seleção Brasileira), ou as sedes do Flamengo (Gávea) e Fluminense (Laranjeiras) juntas. O espaço conta com três campos de futebol para treinos do elenco profissional e os jogadores das divisões de base. E mais: vestiários equipados com banheiras de hidromassagem, alojamentos com capacidade para até 40 jogadores, piscinas, academia, salão de jogos, além de setores de fisioterapia, enfermaria, lavanderia, cozinha e refeitório.

No local funciona também a sede social e administrativa do Americano, com salas para a presidência, diretoria, departamentos de futebol, marketing, auditório e outros setores.

O estádio e o CT resultaram de uma permuta entre o clube e a construtora, negociação fechada em outubro de 2013. Em troca do novo patrimônio, em fase de conclusão, o Americano cedeu à construtora o antigo estádio Godofredo Cruz, numa área nobre, no Parque Tamandaré, já demolido. No local, será erguido um empreendimento residencial e comercial.

Fonte: Folha da Manhã

Comentários